quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

O Sol, poder e quietude

Sempre que a palavra poder vier à sua mente, lembre-se do poder do Sol
Ele não só criou no início, a partir de si mesmo, a Terra, os planetas e a Lua, como generosamente a cada instante sustenta - com a luz e energia produzidas na sua fornalha -  toda a vida orgânica sobre a Terra há 5 bilhões de anos, sem um segundo de interrupção. Já pensou?
A ciência de vanguarda afirma também que isso ainda vai continuar por mais outros 5 bilhões certamente. 
Esse é um dos dois processos pelos quais o Sol cria vida. É o de alta energia de fusão nuclear e gera energia e luz sob a forma de fótons, partículas de luz. Ele transforma átomos de hidrogênio, que tem de sobra, em átomos de hélio graças à pressão descomunal do seu núcleo. E como sobra do processo, gera energia e calor que sustenta toda a vida no seu em torno. Mas tem mais, esses fótons ficam 150 milhões de anos rebatendo tresloucados dentro do seu núcleo - não se sabe porque - até serem expelidos para fazerem a viagem esférica e veloz a todo o sistema solar levando sabe o que? A Vida, além de calor e energia. E a gente, cegamente preocupada com as mazelas da sobrevivência, as contas, os filhos, os pais, a sogra, a violência, não se dá conta do tamanho desse mistério. Com certeza o sol sustenta também outras formas de vida no seu entorno planetário. Mais mistério...
Mas não acabou ainda: a segunda forma de gerar energia e vida, desta vez é a de baixa energia, que finalmente está sendo aceita pelo stablishment científico mundial. A ciência já constatou que sua luz magicamente cria nos reino animal, vegetal e humano, sem fusão nuclear, transmutações biológicas insuspeitadas além da fotossíntese, que já é conhecida e aceita (mas não entendida de fato). É isso que é a Alquimia: elementos químicos transformando-se em outros elementos diferentes dentro de nós humanos, animais e plantas. Quem estiver interessado, leia o livro Transmutaciones  Biologicas Y la Fisica Moderna de Louis Kervran. Um livro corajoso que quase lhe custou a carreira no século passado, graças ao preconceito poderoso da arrogante comunidade  científica da época. Graças a Deus a coisa está melhorando, vemos antropólogos, astrofísicos, cientistas, médicos, terapeutas, cada vez menos arrogantes e mais preocupados em conciliar os conhecimentos entre o Ocidente e Oriente, em entender e acreditar no Invisível. No livro ele prova científicamente que uma simples galinha transmuta elementos químicos no seu metabolismo diário, algo como transformar magnésio em ferro, potássio em sódio, coisa que se acreditava que só ocorria no interior do Sol, naquele forno nuclear. As modernas Física e Química já estão aceitando e pesquisando o fato.
Mas chega de ciência sobre o o Sol, vamos falar de poesia, de imaginação. 
Olhem para ele. Ele nasce e se põe em profunda quietude, move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça da janela sem a quebrar.
Ele acaricia as pétalas de uma rosa sem a ferir, e beija o rosto de uma criança adormecida sem a acordar.
Uma força de poder descomunal, assustador, mas curiosamente delicada e gentil...uma obra prima de uma inteligência superior.
 Vamos encontrar na natureza lições preciosas a nos dizer que o verdadeiro Poder anda de mãos dadas com a Beleza e a Quietude.

3 comentários:

  1. Tem uma série da Focus filme chamada
    OS MISTÉRIOS DO COSMOS, uma fascinante exploração do Universo, são 3 volumes, vale ver

    ResponderExcluir
  2. Sol lux sol
    lux sol lux

    ResponderExcluir