domingo, 7 de julho de 2013

Era de Aquário, Manifestações, Chumbo-Grosso

O mundo inteiro fala em ‘Era de Aquário’, mas poucos sabem o significado da expressão, cunhada no século passado. A ocasião para falar no assunto é boa, porque você está vendo os efeitos da chegada dela no noticiário toda a semana, principalmente nas últimas.
O significado das Eras é astrològico, mas para entendê-lo é preciso saber algo de Astronomia, ciência que curiosamente nasceu depois da Astrol0gia. Os primeiros astrônomos eram todos astròlogos, numa época milenar onde a Ciência estava conectada ao Espírito, à tradição de um conhecimento metafísico, esotérico. 
Poucos sabem que Sir Isaac Newton descobridor da lei da gravidade, um dos grandes cientistas do mundo (QI 190) era astròlogo, e que um dia disse a respeito da antiga ciência  para o seu aluno Halley, descobridor do cometa: Sir, I have studied it, you have not, ou, Senhor, eu a estudei, você não
Olhar para os astros era obrigação dos astrólogos para entender o Universo, fazer mapas para os reis, faraós,e outros chefes e mecenas sobre seus reinos, destinos, filhos, paz, guerras, colheitas, eclipses, e por aí afora. Daí nasceu a Astronomia, para ajudar os cálculos do que os mestres já pressentiam em termos de busca metafísica. (essa foi de maldade...rsrs). 
Se você não gosta de considerações astronômicas e de geometria espacial, pule os 7 itens abaixo, e vá direto para a compreensão da natureza das Eras e símbolos, principalmente a de Aquário iniciando. 
Vamos lá, então, entender a astronomia do "porquê" da Eras: 

1 - Imagine simplificadamente o sistema solar, com os planetas girando em torno do Sol, todos no mesmo sentido da varredura , e então para organizar a coisa, imagine o plano descrito pela órbita  feita pela terra, igual um tampo de uma mesa redonda. Vamos chamá-lo de plano da eclíptica, porque, já que é um plano feito pela órbita da Terra quando ela gira em torno do Sol, qualquer coisa que fique nesse plano entre a Terra e o Sol em algum momento vai causar um eclipse solar. No movimento de rotação da Terra, parece que para nós, que estamos sobre ela olhando o horizonte, o Sol, Lua, e toda a região do céu em torno do plano da eclíptica se levantam e nascem, mas na verdade é a Terra que gira em sentido contrário, dando essa impressão. 
Como a Terra vai sofrer astrologicamente a influência de todos os astros, Sol, Lua, planetas, estrelas, vamos imaginar a Terra como centro das atenções. Por coincidência a Igreja Romana européia também dizia isso, mas acreditava de fato, erradamente, que tudo girava em torno da Terra. Não gira, mas para efeito astrològico a Terra tem que ser o centro, porque as influências dos astros vêm todas em direção à Terra e os seres terrenos, e têm que ser organizadas num gráfico circular e catalogadas a partir do lugar onde está o “cliente do astrólogo”, ou nós, na face da Terra. Senão não se entende.
 Os chineses, japoneses, árabes, persas, e outros orientais devem ter rido muito da igreja européia pelas suas crenças geocêntricas errôneas. Daí eles acharem os europeus bárbaros e atrasados.
 Se vivêssemos em Marte, ele seria também o centro para se fazer os mapas astrológicos dos marcianos, ora bolas. Na Lua a mesma coisa.
Isso porém fez com que, quando Copérnico e depois Galileu colocaram o Sol no centro do sistema para efeitos astronômicos – e estavam certos - foi um deus-nos-acuda. Muita fogueira e churrasco de herege. Galileu escapuliu, que não era bobo.
2 – A Terra tem um plano chamado equador (que a divide essa grande esfera em duas metades – hemisfério norte e sul, e ao girar em torno de si mesma gerando os dias e noites, o seu eixo polar de rotação não gira perpendicular ao tal plano da eclíptica, o tampo da mesa, mas inclinado uns 20 e poucos graus constantes em relação a ele. É isso que gera estações do ano quentes (verão) e frias (inverno) porque as metades são insoladas de forma diferente, devido à inclinação do eixo polar. É como um pião que gira inclinado todo o tempo em torno de uma fonte de calor e luz. Numa mesma estação a esfera tem uma metade mais quente que a outra, porque recebe a luz solar mais tempo durante o dia.
3 - Mas tem um complicador: além de inclinado, o eixo de rotação da terra faz mais um movimento muito lento que descreve um cone a cada 26 mil anos. Atualmente o eixo aponta para a estrela polar, mas vai mudando, mudando. Depois volta. 
4 - Os planos do equador da Terra e da eclíptica não são paralelos e então se encontram formando uma reta, que é o encontro de dois planos – qualquer um sabe, e essa reta ,que passa no centro da Terra, vai sendo “arrastada” dia a dia pela Terra conforme ela vai fazendo o seu caminho em torno do sol. Quando essa reta-intersecção dos dois planos, se deslocando, passa também pelo centro do Sol duas vezes por ano, aí são os tais equinócios, ou de outono ou de primavera num hemisfério, e vice-versa ao contrário no outro. Esse dia tem o mesmo tamanho da noite, nos dois hemisférios, daí o nome equinócio. 
Tudo bem até aqui?
5 – Em todo o ano perto do dia 22 de março é o dia do Equinócio de Primavera no hemisfério norte e o de Outono no sul . Nesse dia os mestres da Astrologia dividiram o círculo do ano (de 360 graus ou 365 dias) em 12 signos iguais de 30 graus cada um, e começa o ano astrológico com o primeiro signo que é Áries e em sequência os outros 11 em fila. Essa divisão é uma convenção da astrologia baseada em seus efeitos, o zodíaco dos signos (Zodíaco tropical), onde vemos os planetas em trânsito dentro deles, dando serviço aos astrólogos para interpretar isso. É uma cinta de 12 segmentos de igual tamanho, que é um pouco diferente da outra  cinta externa do zodíaco das constelações (ou Zodíaco sideral) formado por elas. Outro complicador é que apesar de serem cintas diferentes (a dos signos é uma formulação intelectual-esotérica e a das constelações é real, factual) elas tem os mesmos nomes e sequência (Áries, Touro...etc.) mas as constelações são 12 segmentos de tamanhos diferentes (não têm 30 graus cada, como os signos) vistas da Terra. Então existe uma Astrologia comum, a dos signos, feita para qualquer pessoa, ser vivo ou evento na terra, e uma Astrologia mais ampla e abrangente das constelações, que influencia a humanidade como um todo. É dessa que falamos agora para se entender as Eras.
6 – Todo ano no dia do Ponto Vernal, ou Equinócio de Outono no hemisfério sul (21-22 de Março) se olharmos para o sol ele está no primeiro dia ou grau do signo de Áries mas se olharmos mais para fora do sistema solar para a cinta mais exterior das constelações, o Sol está em uma constelação diferente da de Áries. Por que? Aí ,a porca torce o rabo, como diria Dª Josefina:
É que, por causa do movimento de cone do eixo da terra de que falamos, a cada ano no dia do Equinócio de Outono, o eixo da terra e portanto o plano do equador ao qual é perpendicular, se inclinou um pouco nesse movimento de cone, e com isso a reta-intersecção, entre os planos do equador e eclíptica, muda um pouquinho de lugar ao se olhar para o Sol na cinta das constelações. Então a gente vê a cada ano, no dia do equinócio, a reta-intersecção dos planos equador-eclíptica ir apontando para um lugar um pouquinho precedente, para trás, nas constelações até se passarem 26 mil anos. E começa tudo de novo. Daí o nome Precessão dos Equinócios. 
Como são 12 constelações de tamanhos diferentes, a cada 2166 anos (em média, já que elas tem tamanhos diferentes) muda a constelação apontada pela reta-intersecção, e entra outra. É sempre a anterior, na sequência conhecida do zodíaco. Então há mais ou menos 2 mil e poucos anos começou a Era de Peixes. Antes vinha a de Áries (4332 anos) e antes a de Touro (6498 anos). Sempre em média, porque as constelações, diferentemente dos signos, têm tamanhos diferentes, como já falamos.
7 – Demorou um pouco, desculpem, mas agora é que vem a compreensão da natureza do mistério das Eras: 
Em cada Era a humanidade busca entender a "divindade" que monitora o Universo, mas sob uma roupagem diferente, conforme a natureza do signo da constelação de plantão. E então a religião de plantão teima em não aceitar a nova religião principal que está surgindo, e as secundárias também. E quando a era  vai mudando, é só briga.
É só observar a História das grandes religiões e seus símbolos. Já leu o livro A Mensagem das Estrelas? Não? Também, você só vê TV, pô...

Então vamos lá no "como" das Eras:


Anos atrás
Inicio da Era de:
Religião iniciando
Elem.
símbolos da religião versus símbolos dos signos opostos da Era
Símbolo oposto
Valores da religião de plantão
6498
Touro
Egípcia
Terra
bezerro de ouro, boi Apis X culto da Morte
Escorpião
Ouro, terras
4332
Áries
Judaica
Fogo
carneiro,sarça ardente
X tábuas da lei, justiça
Libra
Luta, justiça
2166
Peixes
Cristã
Água
milagre da multiplicação dos Peixes X pão, dogma da Virgem, 
Virgem
Humildade, servir a dor do outro
0?
Aquário
?
Ar
?
Leão
Individualidade, servir o grupo


  • No Egito os símbolos da religião estavam no eixo dos opostos Touro/terra – Escorpião/água. Touro eram as posses materiais como ouro, terras (Casa 2 do zodíaco básico) que caracterizaram o Egito e Escorpião era A Morte, o oculto, a preocupação com o "post mortem", tumbas, sepultamento, mumificação (Casa 8). Quando Moisés, iniciando a nova religião de Áries que substituía a de Touro, recebeu As Tábuas da Lei (Libra), encontrou na volta do monte Sinai o seu povo voltando a adorar o antigo Boi Ápis (Touro). É a resistência ao novo.
  • No judaísmo (Velho Testamento) os símbolos do eixo Áries/fogo – Libra/ar eram: em Áries ou carneiro , a sarça ardente que era a forma de fogo com que Deus aparecia, ou então o carneiro ou cordeiro de deus ( Agnus Dei). Como Áries é regido por Marte, deus da guerra, o povo judeu não tem sossego com as guerras e perseguições.
  • No Cristianismo (Novo Testamento) os símbolos do eixo Peixes/água – Virgem/terra, eram: 
    • em Peixes: os dois peixes cruzados presentes em toda a liturgia cristã, a mitra do papa em formato de peixes, os 12 apóstolos pescadores, o milagre da multiplicação dos peixes (e do pão, o seu oposto no signo de Virgem) e , o servir, a humildade, a aceitação do destino, o cuidar do sofrimento do outro, o "dar a outra face", o sofrimento. 
    • Em Virgem: o dogma da Virgem Maria na qual O Espírito gera Jesus (peixes), o milagre da multiplicação dos pães (o trigo é do signo de virgem).

E da mesma forma que o Judaísmo sofreu a resistência dos egípcios, o Cristianismo não foi aceito pelo judaísmo. E a nova religião mundial que virá, não será aceita pelo Cristianismo ou Islamismo.
Vamos ver o que vem aí no início de Aquário?...
Aquário é o “Aguadeiro do Zodíaco” com seu pote vertendo água para a Terra e suas colheitas. A preocupação com a ecologia é um eixo de Aquário. aquário significa os grandes grupos, dos quais a Humanidade é o paradigma, mas é a ONU, O Estado, o Governo Mundial e todos os governos individuais, as grandes corporações e empresas  mundiais. No seu oposto e complemento está Leão, o rei, o indivíduo, o consumidor, o cidadão... é nóis na fita.
Então, ao lado da mudança de Era, que é sempre dramática e frequentemente explosiva, o Eixo Aquário-Leão vai contemplar a oposição ferrenha entre o indivíduo e o grupo, sobre temas como ecologia, sustentabilidade, direitos do cidadão e indivíduo, invasão de privacidade individual e coletiva, incluindo a representatividade de políticos, corrupção e por aí afora. Alguma semelhança com o que se vê na TV e internet hoje?
Dê uma olhada no que está acontecendo no mundo e no seu país hoje. É isso. E vai durar uns 2 mil anos, se o planeta aguentar tanta ganância,  falta de vontade, tantos interesses no lugar de ideais, tanta falta de sensibilidade. Esse é o pano de fundo. Vem chumbo grosso por aí. 
#Pronto. Falei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário