quinta-feira, 23 de março de 2017

Falta de Magnésio, Um Horror

Nós temos sede de água rica em magnésio.
E temos uma situação assustadora na saúde mundial devido ao desconhecimento de um problema pela medicina comum: os sintomas de deficiência de magnésio e diagnóstico nas pessoas. No Brasil é pior. Os Ministérios da Agricultura e Saúde como sempre nada sabem sobre o assunto de sua alçada (além da corrupção, é claro) e por isso mesmo a famigerada mas incompetente indústria de adubos só repõe na terra os conhecidos N,P,K (Nitrogênio, Fósforo e Potássio) e nada de Magnésio, e então as terras aráveis e portanto os alimentos plantados tem pouco ou nada deste mineral. O sistema público de saúde gasta buzilhões por conta das doenças decorrentes. Quer mais? A deficiência de magnésio é muitas vezes não diagnosticada porque não aparece nos exames de sangue dos laboratórios - apenas 1% do magnésio do corpo é armazenado no sangue, o restante nos tecidos. A maioria dos médicos e laboratórios nem sequer incluem a informação sobre o nível do magnésio nos exames de sangue de rotina. Assim, a maioria dos médicos não sabe quando seus pacientes são deficientes em magnésio, embora estudos mostrem que a maioria quase absoluta das pessoas são deficientes em magnésio. Essa é a ponta do iceberg.
No Brasil há um alerta antigo do Dr. Luiz Moura (um médico fora do rebanho, com quem falei algumas vezes) e de um padre gaúcho chamado Beno J. Schorr que aprendeu com um jesuíta espanhol chamado Dr. Puig que por sua vez cita um médico francês Dr. Delbet (A Política Preventiva do Câncer). Hoje o esperto e midiático Dr. Lair Ribeiro já encampou a tese mas mesmo assim pouca gente conhece o assunto. Vamos ainda falar disso no blog.
Considere as declarações do Dr. Norman Shealy  MD. PhD pela Duke University, neuro-cirurgião, pioneiro em Medicina da Dor, e autor de vários livros:
1 - Todas (pessoal, ele disse TODAS!) as doenças conhecidas estão associadas a uma deficiência de magnésio.
2 - O magnésio é o mineral mais crítico necessário para a estabilidade elétrica de todas as células do corpo.
3- Uma deficiência de magnésio pode ser responsável por mais doenças do que qualquer outro nutriente.
A verdade que ele afirma expõe um buraco na medicina moderna que explica muito sobre a morte iatrogênica (aquela devida ao tratamento) e a doença. Já que a deficiência de magnésio é largamente ignorada, milhões de pessoas sofrem desnecessariamente ou estão tendo seus sintomas tratados indevidamente com medicamentos caros quando eles poderiam ser curados com suplementação barata de magnésio. E ficam doentes, sofrem e... morrem de várias doenças conhecidas ou não, mas a causa primeira é a falta de magnésio não detectada.
Cada um tem de reconhecer os sinais de “sede ou fome” de magnésio por conta própria pois a medicina alopática é perdida a este respeito. É realmente algo muito mais sutil que a fome ou a sede, mas é comparável. Em um mundo onde médicos e pacientes nem sequer prestam atenção à sede e importantes questões de hidratação, não é esperançoso que vamos encontrar muitos reconhecendo e prestando atenção à sede e fome de magnésio, que é uma maneira dramática de expressar o conceito de deficiência de magnésio.
Poucas pessoas estão cientes do enorme papel que o magnésio desempenha em nossos corpos. O magnésio é de longe o mineral mais importante do corpo. Após o oxigênio, a água, e o alimento básico, o magnésio pode ser o elemento o mais importante necessário para nossos corpos; vitalmente importante, mas mal conhecido. É mais importante do que o cálcio, potássio ou sódio e regula todos os três! Milhões sofrem diariamente de deficiência de magnésio sem mesmo saber.
Na verdade, parece haver uma relação entre o que percebemos como sede e as deficiências e faltas nos eletrólitos (partes químicas de várias substâncias, que alimentam as células, também chamadas de íons e cátions). Eu me lembro de uma pessoa perguntando: "Por que estou desidratado e com sede quando bebo tanta água?" Sede pode significar não só falta de água, mas também pode significar que alguém não está recebendo nutrientes e eletrólitos. Magnésio, potássio, bicarbonato, cloreto e sódio são alguns exemplos disso e essa é uma das razões do fato de que o sal cloreto de magnésio, (que é a forma mais fácil, saudável e barata de ingerir magnésio) é tão útil.

(Nota do autor do post: É bom lembrar que a molécula da clorofila das folhas de todos os vegetais, que magicamente transforma a energia luminosa do sol em energia alimentar na planta através da folha verde, tem no seu centro um átomo de Magnésio e ela vai magicamente se transformar  em molécula de hemoglobina dentro das nossas células sanguíneas vermelhas. 
A molécula de hemoglobina é praticamente igual à de clorofila só que no centro tem um átomo de ferro em vez de magnésio. 
O magnésio se transformou em ferro? Mistééério... Louis Kervran diz que sim, através de uma "transmutação em baixa energia" dentro do nosso corpo, semelhante à de "alta energia" que ocorre no centro do sol, só que mais discreta e silenciosa. E tome mais mistério... Gosto de pensar que a realidade é mais  atraente e mágica que a fantasia. Milagre é pouco. Mas, como dizia Scherazade ao sultão: isso fica para uma outra vez...)

Uma pessoa com deficiência de magnésio
Você sabe todos esses anos, quando os médicos costumavam dizer aos seus pacientes "É tudo da sua cabeça", foram anos em que a profissão médica estava mostrando sua ignorância. É um tormento ser magnésio-deficiente em um nível ou outro. Mesmo se for para a pessoa desportiva entusiástica cujo desempenho atlético está baixo, a deficiência de magnésio irá perturbar o sono e os níveis de estresse de fundo e uma série de outras coisas que refletem sobre a qualidade de vida. Os médicos não estão usando o teste apropriado para o magnésio - seus exames de sangue no soro apenas distorcem suas percepções. Magnésio tem ficado fora de suas telas de radar através das décadas em que as deficiências de magnésio têm se transformado em uma bola de neve crescente.

Sintomas de Deficiência de Magnésio
Os primeiros sintomas de deficiência podem ser sutis - como a maior parte do magnésio é armazenada nos tecidos, cólicas nas pernas, dor no pé, ou músculo, "contrações musculares" pode ser o primeiro sinal. Outros sinais precoces de deficiência incluem perda de apetite, náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza. Conforme a deficiência de magnésio piora, dormência, formigamento, convulsões, mudanças de personalidade, ritmos cardíacos anormais e espasmos coronarianos podem ocorrer.
Um esboço completo de deficiência de magnésio foi apresentado com belo trabalho em um artigo recente do Dr. Sidney Baker. "A deficiência de magnésio pode afetar praticamente todos os órgãos do corpo. Em relação ao músculo esquelético, pode-se experimentar contrações musculares, cãibras, tensão muscular, dor muscular, incluindo dores nas costas, dor de garganta, dores de cabeça de tensão e disfunção articular da mandíbula. Além disso, pode-se experimentar aperto no peito ou uma sensação peculiar de que ele não pode respirar fundo. Às vezes a pessoa pode suspirar muito.
"Sintomas que envolvem a contração prejudicada de músculos lisos incluem constipação, espasmos urinários, cólicas menstruais, dificuldade em engolir ou um nó na garganta, especialmente provocado por comer açúcar, fotofobia, especialmente dificuldade em se ajustar a faróis brilhantes na ausência de doença ocular, e alta sensibilidade ao ruído a partir da tensão muscular do nervo “stapedius” no ouvido médio."
Continuando com os sintomas de deficiência de magnésio, o sistema nervoso central é marcadamente afetado. Sintomas incluem insônia, ansiedade, hiperatividade e inquietação com movimento constante, ataques de pânico, agorafobia (medo de espaços abertos e multidão), e irritabilidade pré-menstrual. Sintomas de deficiência de magnésio envolvendo o sistema nervoso periférico incluem dormência, formigamento e outras sensações anormais, tais como “zips, zaps” (?) e sensações vibratórias.
"Sintomas ou sinais do sistema cardiovascular incluem palpitações, arritmias cardíacas e angina devido a espasmos das artérias coronárias, pressão arterial elevada e prolapso da válvula mitral. Tenha consciência de que nem todos os sintomas precisam estar presentes para presumir deficiência de magnésio, mas, muitas delas muitas vezes ocorrem em conjunto. Por exemplo, as pessoas com prolapso da válvula mitral frequentemente têm palpitações, ansiedade, ataques de pânico e sintomas pré-menstruais. Pessoas com deficiência de magnésio muitas vezes parecem ser "tensas." Outros sintomas gerais incluem um desejo de sal, desejo intenso e intolerância aos carboidratos, especialmente de chocolate, e dores mamárias".
O magnésio é necessário para todas as células do corpo, incluindo as do cérebro. É um dos minerais mais importantes quando se considera a suplementação por causa de seu papel vital em centenas de sistemas enzimáticos e funções relacionadas a reações no metabolismo celular, além de ser essencial para a síntese de proteínas, para a utilização de gorduras e carboidratos. O magnésio é necessário não só para a produção de enzimas de desintoxicação específicas, mas também é importante para a produção de energia relacionada à desintoxicação celular. A deficiência de magnésio pode afetar praticamente todos os sistemas do corpo.
Água mineral rica em magnésio pode prevenir a deficiência de magnésio
Como a água, precisamos de magnésio todos os dias. Há uma necessidade eterna de magnésio, bem como de água e se o magnésio está presente na água, a vida e saúde são reforçadas.
Uma das principais razões de médicos prescreverem milhões de receitas para tranqüilizantes a cada ano é o nervosismo, irritabilidade e nervosismo em grande parte provocada por dietas inadequadas principalmente falta de magnésio. Pessoas apenas ligeiramente deficientes em magnésio tornam-se irritáveis, altamente sufocadas, e sensíveis ao ruído, hiper-excitáveis, apreensivas e beligerantes. Se a deficiência é mais grave ou prolongada, eles podem desenvolver espasmos, tremores, pulso irregular, insônia, fraqueza muscular, atordoamentos e cãibras na perna e nos pés.
Se o magnésio é severamente deficiente, o cérebro é particularmente afetado. O pensamento nublado, a confusão, a desorientação, a depressão acentuada e até mesmo as aterradoras alucinações do “delirium tremens” são em grande parte provocadas pela falta desse nutriente, e resolvidas quando o magnésio é administrado. Já que a grande quantidade de cálcio é perdida na urina quando o magnésio está subministrado, a falta deste nutriente indiretamente torna-se responsável por deterioração dentária desenfreada, desenvolvimento ósseo pobre, osteoporose e lenta cicatrização de ossos quebrados e fraturas. Com a vitamina B6 (piridoxina), o magnésio ajuda a reduzir e dissolver cálcio e pedras nos rins.
A deficiência de magnésio pode ser um fator comum associado à resistência à insulina. Os sintomas de Esclerose Múltipla que também são sintomas de deficiência de magnésio incluem espasmos musculares, fraqueza, espasmos, atrofia muscular, incapacidade de controlar a bexiga, nistagmo (movimentos oculares rápidos), perda auditiva e osteoporose. As pessoas com EM têm taxas mais altas de epilepsia do que os controles. A epilepsia também tem sido associada a deficiências de magnésio. [1]
Outra boa lista de sintomas de alerta precoce sugestivos de insuficiência de magnésio:
Fadiga física e mental, contração muscular subjacente persistente, tensão na parte superior das costas, ombros e pescoço, dores de cabeça, retenção de líquidos pré-menstrual e / ou sensibilidade mamária
Possíveis manifestações de deficiência de magnésio incluem: energia baixa, fadiga, fraqueza, confusão, nervosismo, ansiedade, irritabilidade, convulsões (e birras), má digestão, TPM e desequilíbrios hormonais, incapacidade de dormir, tensão muscular, espasmos e cólicas, calcificação de órgãos, enfraquecimento dos ossos, ritmo cardíaco anormal
Deficiência de magnésio grave pode resultar em baixos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia). A deficiência de magnésio também está associada a baixos níveis de potássio no sangue (hipocalemia). Os níveis de magnésio caem à noite, levando a ciclos de sono REM (Rapid Eye Movement) e ao “sono que não relaxa”. Dores de cabeça, visão turva, úlceras na boca, fadiga e ansiedade também são sinais precoces de esgotamento.
Nós ouvimos o tempo todo sobre “como a doença cardíaca é a crise de saúde número um no país, sobre como a pressão arterial elevada é o "assassino silencioso", e sobre como um número cada vez maior de pessoas estão tendo suas vidas e a vida de suas famílias destruída pelo diabetes, doença de Alzheimer, e uma série de outras doenças crônicas.

Os sinais de deficiência grave de magnésio incluem:
sede extrema, fome extrema, micção frequente, feridas, ou feridas que cicatrizam lentamente, pele seca e pruriginosa, perda de peso inexplicada, visão embaçada que muda de dia para dia, cansaço ou sonolência anormais, formigamento ou dormência nas mãos ou nos pés, frequentes ou recorrentes infecções de pele, gengiva, bexiga ou vaginais por levedura
Mas veja, não são os mesmos sintomas para o diabetes? Muitas pessoas têm diabetes por cerca de 5 anos antes de mostrar sintomas fortes. Por esse tempo, algumas pessoas já têm danos no olho, rim, gengiva ou nervo causados pela deterioração das condições de suas células devido à resistência à insulina e deficiência de magnésio. Jogue um pouco de mercúrio e arsênico sobre a mistura de causas (etiologias) e pronto, temos a condição de doença que chamamos de diabetes. Deficiência de magnésio é sinônimo de diabetes e está na raiz de muitos, se não todos os problemas cardiovasculares.
A deficiência de magnésio é um prenunciador de diabetes e doença cardíaca ambos; Diabéticos precisam de mais magnésio e perdem mais magnésio do que a maioria das pessoas. Em dois novos estudos, tanto homens como mulheres, aqueles que consumiram mais magnésio em sua dieta foram menos propensos a desenvolver diabetes tipo 2, de acordo com um relatório na edição de janeiro de 2006 da revista Diabetes Care. Até agora, muito poucos estudos grandes examinaram diretamente os efeitos a longo prazo do magnésio dietético na diabetes. Dr. Simin Liu, da Harvard Medical School e da Escola de Saúde Pública de Boston, diz: "Nossos estudos forneceram alguma evidência direta de que maior ingestão de magnésio na dieta pode ter um efeito protetor a longo prazo na redução do risco", disse Liu, que estava envolvido em ambos os estudos.
A sede no caso de diabetes é parte da resposta do corpo à micção excessiva. A micção excessiva é a tentativa do corpo para se livrar da glicose extra no sangue. Esta micção excessiva provoca o aumento da sede. Mas temos que olhar para o que está causando esse nível de desarmonia. Temos de investigar mais profundamente camadas de causa. O corpo precisa de despejo de glicose por causa do aumento da resistência à insulina e que a resistência está sendo alimentada diretamente pela deficiência de magnésio, o que torna os insultos tóxicos mais prejudiciais para os tecidos, ao mesmo tempo.
Quando os diabéticos obtêm açúcares sanguíneos muito altos, o corpo cria "cetonas" como um subproduto da quebra de gorduras. Estas cetonas causam a acidez do sangue que causa "acidose" do sangue, levando à cetoacidose diabética (DKA), esta é uma condição muito perigosa que pode levar ao coma e à morte. É também chamado de "acidose diabética", "cetose", "cetoacidose" ou "coma diabético". DKA é uma maneira comum para novos diabéticos tipo 1 a ser diagnosticado. Se eles não conseguem procurar aconselhamento médico sobre sintomas como micção, que está levando a sede eles podem morrer de DKA.
Os suplementos de magnésio oral reduzem a desidratação dos eritrócitos [2]. Em geral, os equilíbrios ótimos dos electrólitos são necessários para manter a melhor hidratação possível. A sede diabética é iniciada especificamente pela deficiência do magnésio com o excesso relativo do cálcio nas células. Até mesmo água, nosso nutriente mais básico começa a ter dificuldade em entrar nas células que tem então mais vazão de saída pelos rins.

Autismo e Deficiência de Magnésio
Ao lidar com o espectro autista e outros distúrbios neurológicos em crianças é importante saber os sintomas de baixo teor de magnésio,ou seja: agitado, não pode manter-se imóvel, balança o corpo, dentes moídos, soluços, ruído sensível, agressivo, pronto para explodir, facilmente estressado. Quando se trata de crianças hoje, precisamos assumir uma grande deficiência de magnésio por várias razões.
1) Os alimentos que eles estão comendo são desprovidos de magnésio, porque os alimentos em geral, como veremos abaixo estão declinando no teor deste mineral de forma alarmante.
2) Os alimentos que muitas crianças comem são alimentos processados ou altamente processados que não fornecem a nutrição real ao corpo.
3) Já que a maioria de crianças na amostra não estão absorvendo os minerais que necessitam mesmo quando presente no estômago, a absorção de magnésio é dependente da saúde intestinal, que no caso é comprometida totalmente em síndromes de intestinos “que vazam os minerais” além de outros problemas intestinais
4) Os suplementos orais em que os médicos confiam não são facilmente absorvidos, pois eles não estão na forma correta, e o magnésio em geral não costuma ser administrado ordinariamente por via oral.

A medicina moderna é suposta a ajudar as pessoas, e não prejudicá-las mas, com a sua ignorância quase total sobre o magnésio, médicos acabam prejudicando mais do que eles ajudam pelo fato de muitas das intervenções médicas conduzirem para baixo os níveis de magnésio quando eles deveriam estar aumentando-os. Muitas, se não a maioria das drogas farmacêuticas conduzem os níveis de magnésio em zonas perigosamente baixas e a cirurgia feita sem aumentar os níveis de magnésio é muito mais perigosa que cirurgia feita com níveis adequados.
O fundamento da arrogância médica é realmente a ignorância médica, e a única razão de a ignorância e arrogância regerem o campo de atuação da medicina é uma cobiça e avidez por poder e dinheiro. A natureza humana parece estar no seu pior momento na medicina moderna quando deveria estar no seu melhor. É triste que as pessoas sofram desnecessariamente e é extraordinariamente trágico que a medicina alopática virou as costas para o Juramento de Hipócrates e tudo o que ele significa.

Referências

  •  Postagem feita por tradução livre (mais adendo inicial de Arnaldo Preto) a partir de artigo do site http://www.greenmedinfo.com/blog/magnesium-deficiency-symptoms-and-diagnosis publicado pela primeira vez como: Magnesium Thirst Magnesium Hunger (Sede e Fome de Magnésio)
  •  http://www.nhfw.info/magnesium.html
  • Dr. Mark Sircus, Ac., OMD, DM (P) (acupunturista, doutor da medicina oriental e pastoral) é um escritor prolífico e autor de alguns livros médicos surpreendentes relacionados à saúde. Seus livros são fortemente referenciados, e por muitos anos o Dr. Sircus tem pesquisado sobre a condição humana e sobre as causas da doença; Ele destilou muitos dos sistemas médicos divergentes em uma nova forma de medicina que ele inventou: Medicina Alopática Natural.
  •  Este artigo tem direitos de autor por GreenMedInfo LLC, 2016