domingo, 29 de dezembro de 2013

Biografias "Malditas" - Nikola Tesla

Nikola Tesla é um dos exemplos de ser humano despojado. Demoramos muito para publicar algo sobre ele, já que ele reunia características que consideramos fascinantes: era um gênio comparável a Einstein, mas extremamente prático e “fazedor”, visionário,  reservado, honesto e abnegado a serviço da humanidade. Desde garoto trabalhou o seu interior persistentemente para organizar a sua mente que era assaltada por energias dispersivas e estranhas, e teve sucesso. Não era um homem comum e não se sabe se teve alguma orientação interior externa ou interna, esta talvez proveniente de outras vidas. Infelizmente  foi frustrado pela mão oculta do sistema capitalista americano que o sabotou através de um homenzinho enganador mas famoso, Thomas Edison e outros desonestos do mesmo naipe, como J.P. Morgan, e dos outros grupos que mantém a hegemonia do poder no mundo  atualmente. Nada de novo sob o sol.
Tesla disse: "Antes que desapareçam muitas gerações, as nossas máquinas vão ser movidas pela força a partir de qualquer ponto do Universo. Em todo o Universo existe energia".
A revista Nexus Magazine afirma e pergunta: "Nicola Tesla era considerado como uma das pessoas mais conhecidas do mundo. Hoje em dia desapareceu dos nossos livros científicos e de toda e qualquer literatura. Que foi que descobriu e porque caiu no esquecimento do público? "
Terá existido na História da humanidade alguém que tenha tornado possível o sonho do ser humano, em obter energia livre e gratuita?
Porque é que hoje em dia apenas as descobertas de alta tecnologia têm sucesso, como os aparelhos informáticos, telemóveis e vivemos no entanto, com uma energia obsoleta, velha, contaminante e sem avanços visíveis a favor do ser humano?
Porque é que as patentes de inventos, ou invenções eficazes, são rapidamente compradas e guardadas nas gavetas do esquecimento?
Perguntas que têm como resposta uma realidade tenebrosa, que persiste hoje em dia como uma grande mão negra que se estende até às raízes mais profundas de uma sociedade que cala e consente.
No seu livro Minhas Invenções, Tesla retoma às suas primeiras lembranças para relatar a origem de seu método criativo. Conta como, ainda na infância, vivida em seu país natal - o Império Austro-Húngaro, hoje Croácia - aprendeu a dominar uma estranha perturbação, que embotava seu raciocínio, e transformá-la em ponto favorável a sua criatividade.
Tesla era assaltado com frequência por visões de imagens quase tangíveis, em geral acompanhadas de fortes clarões de luz, de objetos e cenas que designavam palavras ouvidas no cotidiano. Para tentar livrar-se do problema, ele passou a se concentrar nas imagens, fixando-as em sua mente. Era o processo de manter a presença na imagem, "aquilo que é, que se apresenta" no vazio e com isso deixar de ser arrastado pelos pensamento: o Conhecimento Silencioso de Castaneda. Eckhart Tolle fala disso todo o tempo.
A técnica o ajudaria a desenvolver um sistema criativo ímpar: "Um método de materialização de conceitos e ideias inventivas mais eficiente do que o experimental". Tesla "construía" seus projetos na imaginação, de modo tão vívido que podia aprimorá-los e operá-los mentalmente: "É absolutamente irrelevante para mim se testo a minha turbina em pensamento ou na oficina".
Tesla tinha apenas oito anos quando percebeu que podia subjugar a própria mente. Nessa época, estimulado pela leitura de certo livro, ele aprendeu a praticar o autocontrole: "No início, meus desejos tinham de ser dominados, mas aos poucos o desejo e a vontade tornaram-se idênticos . Depois de anos nessa disciplina, obtive um domínio tão completo de mim mesmo, que brincava com paixões que teriam significado a destruição para os homens mais fortes". Dom Juan e Gurdjieff devem estar rindo no túmulo. 
Além de Física e Matemática, Tesla estudou Filosofia. Atuou como engenheiro elétrico na Hungria, França e Alemanha e, nos Estados Unidos, para onde se mudou em 1884, trabalharia com Thomas Edson, que se tornaria seu rival. Edson defendia um sistema de transmissão de potência de corrente contínua, inferior ao criado por Tesla em 1888, de corrente alternada. Este sistema está na base do projeto, desenvolvido por Tesla, dos geradores das Cataratas do Niágara. Patenteada em seguida por George Westinghouse, a tecnologia ainda hoje fundamenta a indústria de energia elétrica.
Nikola Tesla nasceu a 10 de Julho de 1856, por volta da meia noite, numa pequena aldeia chamada Smiljan, na Croácia. Estudou em Gratz e Viena e terminou os estudos em Paris.
O físico trabalhou desde 1884 como assistente de Thomas Edison. Mais tarde criou o seu próprio laboratório em Nova York. Em 1891 tinha já inventado uma quantidade de aparelhos de grande utilidade.
Tesla anunciou numa conferência de imprensa, um motor de raios cósmicos, quando lhe perguntaram se era mais poderoso que o radiômetro de Crooke, ele contestou: "Mil vezes mais poderoso!"
Em 1891 patenteou o que se poderia ter convertido na sua mais poderosa invenção: A base para a transmissão sem fio de corrente eléctrica, a Bobina Transformadora Tesla.
Ele disse: “…Em todo o universo há energia: é esta estática ou cinética? no primeiro caso as nossas esperanças são vãs, no segundo - e isto sabemos com certeza - não é mais que uma questão de tempo, que os homens tenham êxito em sincronizar a sua maquinaria com as engrenagens da Natureza”.
A exemplo de Santos Dumont, outro gênio incompreendido, sabotado e enganado pela própria História que apesar de todas as evidências registradas considera os irmãos Wright como primeiros a testar "o aparelho voador mais pesado que o ar", Tesla valorizava e afirmava que os seus inventos ajudariam a humanidade, acima de qualquer prêmio ou reconhecimento, inclusive econômico; o que naquela época e muito menos hoje em dia, nenhum cientista ou inventor estaria disposto a oferecer à sociedade.
E foi este e não outro, o seu erro.
O seu coração era tão grande como a sua inteligência e as suas invenções, muitas delas, foram esquecidas pela pobreza em que viveu a sua última etapa da vida, a sua velhice.
Tesla estava fascinado pela energia radiante e sua possibilidade de se converter em energia livre e gratuita. Sabia que era possível captar energia diretamente: “conectando-se com a verdadeira força da natureza”. A "Nave Terra", precisava de um plano de voo moderno. Tesla queria ajudar as nações menos privilegiadas. Sabia que milhares de pessoas morrem de fome todos os dias e muitas delas, crianças.
Os que dirigem a nossa economia - pensava Nikola Tesla - no mundo ocidental, permitem-nos desfrutar de um alto nível de vida e de prazer, comparando com os nossos vizinhos, que vivem abaixo da linha imaginária a que chamamos limite.
A energia dirige a economia das nações e a meta da vida de Tesla, foi tornar a energia elétrica igualmente acessível e disponível para todas as pessoas em qualquer lugar do planeta e foi isso que o condenou. Foi objeto direto de ataques pessoais, de tentativas para manchar a sua brilhante carreira e reputação e acabaram por isolar Tesla, na mais absoluta miséria.
No entanto, perante as adversidades continuou a promover o seu plano para a transmissão sem fio de energia.
Porque é que a energia não é acessível para todas as pessoas e para todas as nações?
Porque nunca se materializaram os tão recomendados dispositivos de energia livre descritos por Tom Bearden, John Bedini, Bruce DePalma e outros?
Nikola era um homem cheio de contrariedades, sério e reservado, mas também encantador. Ainda que solitário, sabia atrair as pessoas que o rodeavam. Alto e magro, sempre perfeitamente vestido, com postura aristocrática e com elegância, chamava a atenção. Morreu aos 86 anos.
As suas invenções e teorias foram esquecidas pela Humanidade. Porquê? O que se passou na realidade?
Durante uma temporada Tesla trabalhou com Edison e admirava-o. Mas Edison não o respeitava e fazia-o trabalhar 18 horas por dia durante os sete dias da semana, solucionando os problemas técnicos que apareciam.
Tesla descreveu como podia melhorar o efeito do gerador de Edison ao que este respondeu:
“Dou-lhe 50.000 dólares se o conseguir fazer” Depois de meses de trabalho Nikola Tesla conseguiu. Edison sem lhe dar o dinheiro prometido, disse:“Tesla, você não entende o sentido de humor dos norte-americanos”. Diante disto, Tesla despediu-se. Edison humilhou o grande cérebro de Tesla, a sua arma era a humilhação. Ele começou a trabalhar então na construção cavando valetas e mais tarde criou o seu próprio laboratório. Mas os monopolistas da energia, tinham muito poder e nenhum deles queria mudanças.
Tesla dizia que podia transmitir notícias e energia sem usar fios, mas os magnatas banqueiros tinham já comprado as minas de cobre, para cobrir grande parte do país com redes de cabos para a distribuição de energia. Continuou a desenvolver a transmissão de energia gratuita para todo o mundo, no laboratório que construiu em 1889 nas montanhas de Colorado Springs.
Criou uma torre de alta tensão para demostrar o transporte de energia sem cabos e gratuito e ao pedir mais dinheiro para seguir com as investigações, negaram-lhe (Warburg, o banqueiro) com intenção premeditada. O projeto “Wardenclyffe”, assim chamado, teve que ser abandonado por falta de orçamento e a sua torre foi destruída.
Em 1934 Tesla foi entrevistado no “The Times” e disse: “Espero viver o tempo suficiente até ser capaz de colocar um aparelho nesta casa, que comece a trabalhar com a energia dos veículos que se movem ao seu redor”.
Quando Nikola morreu, as suas grandes invenções dos dez últimos anos foram deliberadamente esquecidas e ainda fizeram com que Tesla fosse recordado pela sua excentricidade.
Dois feitos importantes fizeram cair sobre ele todo o peso do "esquecimento":

  • A sua negação em enviar qualquer artigo à comunidade acadêmica e científica, fazendo com que estas se opusessem a todas a suas invenções por magníficas que fossem. Um bando de classistas arrogantes.
  • A sua constante preocupação em obter uma energia livre, gratuita para todo o mundo, algo que logicamente os amos e senhores do poder econômico, não estavam dispostos a permitir num mundo já canalizado para ser explorado só por eles.

Na sua morte, a história manipulada tentou manchar a sua aura e exaltou homens como Edison, que foi proclamado o pai da energia e que se uniu sem remorso às críticas contra Tesla, apesar de que sem ele, Edison nunca teria sido ninguém. Um empresário de sucesso, mas medíocre e desonesto, só admirado por americanos e mal informados.
Em 1901 Marconi enviou o seu famoso rádio sinal, dizendo ter inventado a rádio .Mas utilizou 17 patentes de Tesla, que ingenuamente deixou-o trabalhar em seu laboratório com sua equipe, mas a Corte Suprema corrigiu o erro em 1943 depois da morte de Tesla. Apesar deste veredicto, a história encarregou-se de esconder este grande homem, que trabalhava para a humanidade e não para seu próprio benefício ou de uns poucos. Foi contra a corrente e por isso, condenaram-no ao destino do esquecimento.
Nikola Tesla acreditava nas suas invenções para o beneficio da humanidade. Por isso não estava de acordo com a indústria daquela época, que via os seus trabalhos como um grande perigo para as suas fontes de renda.
A situação não mudou hoje em dia. As grandes multinacionais não permitem que se conheça ou que se ponha em prática a obra e a tecnologia de Tesla.
Entre outras áreas, Tesla inventou, mas não levou os méritos, dos seguintes inventos: 
o rádio,
o motor de corrente alternada,
um sistema padrão elétrico no mundo,
a lâmpada de pastilha de carbono (luz de alta frequência),
o microscópio eletrônico,
o avião com levantamento e aterrisagem vertical,
a ressonância,
o radar,
o submarino elétrico,
a Bobina Tesla,
o "Raio da morte",
o controle remoto,
o Raios X,
métodos e ferramentas para o controle climático,
a  transmissão de vídeo e imagens por métodos sem fio,
transferência sem fio de energia,
sistemas de propulsão de meios eletromagnéticos (sem necessidade de partes móveis),
extração de energia em grandes quantidades a partir de qualquer ponto da Terra, etc. 
Deveria ser considerado o maior cientista e inventor da história, mas Tesla morreu só, esquecido, abandonado, como outros grandes sábios da história da humanidade, no seu quarto de hotel, aos 86 anos. Foi encontrado por uma empregada de limpeza no dia seguinte.
Nesse mesmo dia, em plena Segunda Guerra Mundial, o FBI encarregou-se de requisitar todos os seus materiais, instrumentos e cadernos de notas criando assim o "Informe Tesla" e fizeram registros e buscas nos lugares onde Nikola Tesla pudesse ter anotações ou referências dos seus inventos. A mão negra dos interesses particulares obscuros, usando a máquina policial pública de investigações. Nada de novo no mundo inteiro.
Hoje em dia todo o seu trabalho está sob segredo de estado. Porquê? De que têm medo? Por que eles detêm o segredo da energia livre e gratuita inventada por Tesla, e não é conveniente que caia nas mãos da sociedade, porque se quebraria todo o esquema econômico que nos impuseram as multinacionais e o poder econômico.
O governo invisível, esse que está por trás do real, que controla a sociedade e a submete aos seus caprichos, realizou um trabalho fenomenal com Nikola Tesla, expulsando-o da história, encarregaram-se de que fosse julgado como excêntrico e louco, levando-o à ruína e à morte no esquecimento.
Esta é a sua história, o seu legado, a sua vida, a sua realidade e como foi submerso, escondido por querer dar ao mundo um nível de vida que hoje não é possível. É por essas razões que consideram o ser humano como uma espécie perigosa.
Devemos tirá-lo do esquecimento, colocá-lo num pedestal e exigir que as suas descobertas não continuem  sequestradas e se coloquem ao serviço do progresso mundial, do progresso da humanidade, não de uns poucos, para benefício próprio e para prejudicar outros seres humanos, usando-as inclusive também como armas climáticas.
Você não sabia não é?

Há um vídeo e um filme interessantes sobre Tesla:



Secret of Nikola Tesla O filme 1980 - Legendado







quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Amor e Ódio

A menos que você acesse a frequência consciente da Presença, todos os relacionamentos, principalmente os mais íntimos, vão apresentar defeitos profundos. Durante um tempo eles podem dar a impressão de serem perfeitos, como quando estamos apaixonados, mas, invariavelmente, essa perfeição aparente acaba destruída por discussões, conflitos, insatisfações e até mesmo por violência física e emocional, que passa a acontecer com uma frequência cada vez maior. Parece que a maioria dos "relacionamentos amorosos" não leva muito tempo para se transformar numa relação de amor e ódio.
O amor pode se transformar em agressões furiosas, em sentimentos de hostilidade, ou num piscar de olhos, em um completo recuo da afeição. Isso é visto como normal. Os relacionamentos oscilam, então, por um tempo, por alguns meses ou anos, entre as polaridades de 'amor' e ódio, e nos trazem muito prazer e muita dor. Não é pouco comum que os casais se tornem viciados nesses ciclos. Este tipo de drama nos faz sentir vivos. Quando o equilíbrio entre as polaridades negativa e positiva é desfeito e os ciclos negativos e destrutivos acontecem com frequência e intensidade crescentes, não demora muito para o relacionamento acabar.
Pode parecer que tudo se resolveria se conseguíssemos eliminar os ciclos negativos e destrutivos, permitindo que o relacionamento florescesse sem problemas, mas isso não é possível. As polaridades são mutuamente interdependentes. Não podemos ter uma sem a outra. A positiva já contém dentro de si a negativa não manifestada. Ambas são, na verdade, aspectos diferentes de um mesmo sistema defeituoso. Estou tratando aqui dos chamados relacionamentos românticos, não do verdadeiro amor, que não possui opositores porque nasce além da mente.  O amor como um estado permanente ainda é raro de encontrar, tão raro quanto a consciência nos seres humanos. Entretanto é possível haver lampejos breves e ilusórios de amor, sempre que existir um espaço nos fluxo da mente.
O lado negativo de um relacionamento é mais facilmente reconhecido como um  defeito ou anormalidade do que o positivo. E é muito mais fácil reconhecer a fonte da negatividade no parceiro do que vê-la em nós mesmos. Ela pode se manifestar de várias formas, tais como possessividade, ciúme, controle, ressentimento, insensibilidade e egocentrismo, cobranças emocionais e manipulação, raiva e violência física, necessidade de ter sempre razão, de discutir, criticar, julgar, culpar, agredir, irritar, ou se vingar, inconscientemente de uma sofrimento do passado imposto por um dos pais.
Pelo lado positivo, há uma paixão pela outra pessoa. No primeiro momento, esse é um estado altamente gratificante. Sentimos que estamos intensamente vivos. Nossa existência passa a ter um significado porque, de repente, alguém precisa de nós, nos deseja, e nos faz sentir especial. Além disso, provocamos as mesmas sensações no outro, o que faz com que os dois se sintam completos. O sentimento pode se tornar tão intenso que o resto do mundo perde o significado.
Você deve ter percebido que existe uma certa dependência nessa intensidade. Ficamos viciados na outra pessoa, que age sobre nós como uma droga. Quando a droga está disponível, nos sentimos muito bem. Mas a possibilidade, mesmo que remota, de que ela não esteja mais ali, disponível para nós, pode levar ao ciúme, à possessividade, a tentativas de manipulação, através de chantagem emocional, culpa ou acusações - o que, no fundo, é o medo da perda. Se a outra pessoa nos abandonar mesmo, pode fazer nascer a mais intensa hostilidade, ou um profundo desespero. Em segundos a ternura amorosa pode dar lugar à agressão selvagem ou um desgosto terrível. Onde é que está o amor agora? Será que o amor pode se transformar no seu oposto em segundos? Será que era amor de verdade ou um vício, uma dependência?

O VÍCIO E A BUSCA DE PLENITUDE
Porque nos viciaríamos na outra pessoa?
O desejo de ter uma relacionamento amoroso é universal porque as pessoas acreditam que a paixão, o "amor", pode libertá-lo do medo, da necessidade e do vazio que fazem parte da condição humanaem seu estado de pecado e não iluminação. Existe uma dimensão física e outra psicológica para esse estado.
No nível físico, é óbvio que não somos um todo, nem jamais seremos. Cade um de nós é homem ou mulher, o que vale dizer, uma metade de um todo. Nesse nível, o desejo de ser completo, de retornar à unidade, se manifesta através da atração entre homem e mulher. É um impulso irresistível de união com a polaridade oposta de energia. A raiz desse impulso físico é espiritual, porque nele está o desejo ardente do fim de  uma dualidade, de um retorno ao estado de completude. A união sexual é o estado mais perto que podemos chegar deste estado no nível físico. Essa é a razão pela qual ela é a experiência mais satisfatória que o nível físico pode nos oferecer. Mas a união sexual não passa de um lampejo breve de plenitude, um instante abençoado. Enquanto ela for vista inconscientemente como um meio de salvação, você a verá como o fim da dualidade no nível da forma, um lugar onde ela não pode ser encontrada. Você tve um lampejo do paraíso, mas não pode ficar ali e se percebe, de novo, em um corpo separado. No nível psicológico, a sensação de falta, de não estar completo, é até maior do que no nível físico. Enquanto houver uma identificação com a mente, o sentido do eu interior é dado pelas coisas externas. Isso significa que você extrai o sentido do que você é de coisas que não tem nada a ver com quem você realmente é, como o seu papel na sociedade, suas propriedades, sua aparência externa, seus sucessos e fracassos, seus sistemas de crenças, etc.
Esse seu eu interior falso, o ego construído pela mente, sente-se vulnerável, inseguro, e está sempre em busca de coisas novas com as quais se identificar, para obter a sensação de que ele existe. Mas nada é suficiente para lhe dar uma satisfação duradoura. O medo permanece. A sensação de falta e de necessidade permanecem. Então acontece aquele relacionamento especial. Parece ser a resposta para todos os problemas do ego, parece preencher todas as necessidades. Todas aquelas coisas das quais você tinha extraído o sentido do eu interior se tornam relativamente insignificantes. Você tem agora um ponto focal que substitui todos os outros, que dá sentido à sua vida e até define a sua identidade: a pessoa por quem você se "apaixonou". Você não é mais um fragmento isolado em um mundo insensível. Seu mundo tem agora um centro, a pessoa amada. O fato de que o centro está fora de você - , e portanto você tem ainda um sentido do seu eu interior derivado das coisas externas - parece não importar muito num primeiro momento. O que importa aquelas sensações de medo, falta, vazio, insatisfação não estão mais presentes. Ou será que estão? Será que elas desapareceram ou continuam a existir por baixo da aparente felicidade?
Se em seus relacionamentos você vivenciou tanto o "amor" quanto o seu oposto, então é provável que você esteja confundindo o apego do ego e a dependência com o amor. Não se pode amar alguém em um momento e atacar essa pessoa no momento seguinte. O verdadeiro amor não tem oposto. Se o seu "amor" tem oposto, então não é amor, mas  uma grande necessidade do ego de obter um sentido mais profundo  e mais completo do seu eu interior, uma necessidade que a outra pessoa preenche temporariamente. É uma forma de substituição que o ego encontrou e, por um curto período, ela parece ser mesmo a salvação.
Chega então um momento em que o outro passa a se comportar de um modo que deixa de preencher as nossas necessidades, ou melhor, as necessidades do nosso ego. As sensações de medo, sofrimento e falta, que estavam encobertas pelo "relacionamento amoroso", voltam a parecer. Como acontece com qualquer vício, ficamos muito bem enquanto a droga está disponível, mas chega um momento em que a droga não funciona mais. Quando essas dolorosas sensações de medo reaparecem, nós as sentimos mais fortes que antes e passamos a ver o outro como a causa dessas sensações. Isso significa que estamos projetando no outro essas sensações, por isso nós o agredimos com toda a violência que é parte do nosso sofrimento.
Essa agressão pode despertar o sofrimento do outro, que é induzido a contra-atacar. Nesse ponto, o ego ainda está, inconscientemente, esperando que a agressão ou a tentativa de manipulação seja suficiente para levar o outro a mudar o comportamento, de forma que possa usá-lo de novo, para encobrir o seu sofrimento.
Todo o vício surge de uma recusa inconsciente de encararmos nossos próprios sofrimentos. Todo o vício começa no nosso sofrimento e termina nele. Qualquer que seja o vício - álcool, comida, drogas legais ou ilegais, ou mesmo uma pessoa - , ele é um meio que usamos para encobrir o sofrimento. Essa é a razão porque, passada a euforia inicial, existe, tanta infelicidade, tanto sofrimento nos relacionamentos íntimos. Eles não causam o sofrimento e a infelicidade. Eles trazem à superfície o sofrimento e a infelicidade que já estão dentro de nós. Todo vício faz isso. Todo vício chega a um ponto em que já não funciona mais para nós e, então, sentimos o sofrimento mais forte do que nunca. Essa é a razão pela qual muitas pessoas estão sempre tentando escapar do momento presente e buscando algum tipo de salvação no futuro. A primeira coisa que devem encontrar, caso focalizem a atenção no Agora, é o próprio sofrimento que carregam, e é isso o que mais temem. Se ao menos soubessem como, no Agora, é fácil acessar o poder da presença que dissolve o passado e o sofrimento. Se ao menos soubessem como estão perto da própria realidade, como estão perto de Deus.
Evitar se relacionar como uma tentativa de evitar o sofrimento também não é a resposta. O sofrimento está lá, de qualquer jeito. Três relacionamentos infelizes em alguns anos tem mais probabilidade de forçar você acordar que três anos em uma ilha deserta ou trancafiado em seu quarto. Mas, se você pudesse colocar uma presença intensa em sua solidão, isso também funcionaria para você.

Extraído de O Poder do Agora, de Eckhart Tolle

domingo, 22 de dezembro de 2013

Hubble, A Última Missão

Por que falar de um telescópio num blog que se propõe a buscar a evolução individual do ser humano?
Porque, já que cada ser humano está ligado intrinsecamente ao Universo e "é Um com ele", o fato de se intentar abrir uma concepção mais ampla do que é o Universo, e o que é  fazer parte dele, abre o leque de compreensão e portanto de possibilidades de evolução para cada um, dependendo, é claro, do seu intento e das suas circunstâncias.
Em 1929, vejam vocês há quanto tempo, Edwin Powell Hubble, revolucionou a Astronomia ao constatar que o Universo estava se expandindo. Passados alguns anos ele conseguiu sensibilizar os representantes do stablishment científico a construir e lançar no espaço um telescópio móvel, fora da atmosfera desfavorável, para tentar provar sua afirmação.
Desde a concepção original, em 1946, a iniciativa de construir um telescópio espacial sofreu inúmeros atrasos e problemas orçamentários. Foi projetado e construído nos anos 70 e 80, lançado pela NASA - em 24 de abril de 1990, a bordo do ônibus espacial Discovery. Já recebeu várias visitas espaciais da NASA para a manutenção e para a substituição de equipamentos obsoletos ou inoperantes. Foi batizado em homenagem ao seu idealizador. 
Logo após o lançamento no espaço, o Hubble( em inglês Hubble Space Telescope – HST) apresentou uma aberração esférica no espelho principal que parecia comprometer todas as potencialidades do telescópio. Porém, a situação foi corrigida numa missão especialmente concebida para a reparação do equipamento, em 1993, voltando o telescópio à operacionalidade, tornando-se numa ferramenta vital para a astronomia. 
Ele é um satélite artificial não tripulado que transporta um grande telescópio para a luz visível e infravermelha. 
O telescópio é a primeira missão da NASA pertencente aos Grandes Observatórios Espaciais - (GOP - Great Observatories Program), consistindo numa família de quatro observatórios orbitais, cada um observando o Universo em um comprimento diferente de onda, como a luz visível, raios gama, raios-X e o infravermelho. Pela primeira vez se tornou possível ver mais longe do que as estrelas da nossa própria galáxia e estudar estruturas do Universo até então desconhecidas ou pouco observadas. O Hubble, de uma forma geral, deu à civilização humana uma nova visão do universo e proporcionou um salto equivalente ao dado pela luneta de Galileu Galilei no século XVII.
O telescópio também forneceu as primeiras imagens detalhadas e surpreendentes que ilustram como as estrelas nascem das nuvens de gás e poeira. O Hubble rastreou os fragmentos da supernova de mil anos que ainda se move pelo espaço a aproximadamente 5 milhões de quilômetros por hora, registrada pela primeira vez por astrônomos chineses no ano 1054.
Quando os cientistas direcionaram o Hubble para Júpiter, eles puderam ver em tempo real o efeito devastador de um cometa se chocando contra este volumoso planeta. 
Mas o telescópio de 12 toneladas será em 2020 perdido para sempre porque se movimenta lentamente em espiral em direção à Terra, e astronautas vão viajar ao espaço para consertar o Hubble antes de ele ser finalmente retirado de operação e mandado de volta à Terra
Ele já enviou à terra tanta informação que vai ser difícil digerir tudo na próxima década e ampliar mais ainda a nossa visão da formação e origem do Universo.
Após esse vídeo curto, a visão de cada um sobre o que é o Universo e a nossa jornada nele vai realmente mudar para mais real e melhor. Nossas concepções diminutas e mesquinhas sobre “quem sou eu”, e também “quais os meus direitos e minhas propriedades”, "qual a minha missão nesse Universo" vão parecer antiquadas. Mesmo porque nossa grande missão nesse universo é trabalhar duro, com humildade, e tentar evoluir. 
Vamos lá:





quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Boriska Hoje. O Ocaso?

Em nossa publicação As crianças Índigo estão chegando, cujo contexto mais amplo foi explicado mais recentemente pela terapeuta de vidas passadas, hipnóloga e escritora americana Dolores Cannon, falamos de um garoto russo que há poucos anos transformou-se  num fenômeno mundial. Ele faz parte de uma das 3 ondas de seres encarnados na Terra após a segunda guerra vindos de todo o Universo como voluntários, conforme os 3 livros da escritora. São eles “Keepers of the garden”(o primeiro), ”The Custodians”,e “The Convoluted Universe” infelizmente não traduzidos para o português.
Após ter ficado famoso devido uma reportagem, em 2004 do jornal russo Pravda, a vida de Boris Kipriyanovich, conhecido como Boriska “o garoto índigo”, mudou drasticamente. Hoje é um jovem adolescente de mais de 16 anos, sempre calado e com semblante triste, vive recluso e não gosta de falar com estranhos. Tudo o que ele quer é ser esquecido... 
É o que conta um artigo recente escrito pelo respeitado escritor russo Gennady Belimov, professor universitário e pesquisador que esteve presente no acampamento onde Boriska começou a falar de suas experiências do passado. Conta ele que o gravador, que seus pais compraram especialmente para gravar histórias de Boriska de vidas passadas, aos poucos foi sendo usado cada vez menos, e hoje já se encontra esquecido. 
A partir de suas gravações foram arquivadas lembranças curiosas narradas por Boriska sobre cataclismas graves em Marte. Por exemplo, ele insiste em que as últimas centenas de milhares, ou mesmo milhões de anos, havia sérios problemas com água. Marte começou a perder a sua atmosfera e água. 
Boriska disse que havia naves especiais que foram para o planeta mais próximo, a Terra, para conseguir água. Pareciam cilindros e serviam como naves-mãe. Uma vez, enquanto assistia a um programa de TV no Canal Discovery, ele começou a falar com grande entusiasmo sobre a civilização Gray. "Eles não são marcianos", disse ele, apontando a tela. "Nós não somos assim, estamos mais perto de lemurianos e atlantes."
 Segundo ele, os Grays são cruéis. Eles são de outra galáxia. "Nós até tivemos que lutar contra eles, porque eles são os agressores. Nossa raça foi menos agressiva e mais intelectual. Podiamos até usar energia psíquica..." disse Boriska. 
Segundo a mãe do garoto, ele tinha algo que parecia surtos de memoria, que nunca eram repetidos novamente, logo ele voltava ao seu vídeogame e esquecia tudo. Mas para tristeza de todos Boriska já não fala mais sobre esses assuntos de Marte ou sobre o sistema solar. O menino, nas palavras de especialistas, está se fechando. Muito provavelmente as dificuldades de nossa realidade terrena estão fazendo isso acontecer. 
Hoje em dia a única distração de Boriska é a tela do computador onde fica jogando diariamente. Quando alguém tenta falar com ele sobre algum assunto é praticamente ignorado. Vida em Marte já não interesse mais para ele. Agora Boriska é uma pessoa reservada e de poucos amigos. 
A abertura e a ingenuidade do garoto teve um papel negativo em seu destino. Crianças de sua idade e até mais velhos, como de costume em nossa sociedade, reagiram com ciúmes e inveja do garoto.
Por varias vezes ele apanhou na rua e foi insultado, e para aprender a se defender ele teve que aprender a lutar. Tudo isso o deixou extremamente triste. As pessoas começaram a tratar Boriska diferentemente após se tornar celebridade. A maioria reagiu com interesse e curiosidade, mas cerca de 15 a 17% reagiram com ódio incompreensível e raiva. Infelizmente, eles são de alguma forma, os perseguidores mais cruéis do menino. 
Assim como Jesus Cristo, que veio e ensinou as pessoas a praticar o bem, teve quem achasse isso ultrajante, a ponto de querer crucificá-lo. O jeito diferente de ser do menino, não se enquadrava em qualquer tipo de senso médio de uma criança normal, e infelizmente esse fato que o tornou famoso foi também a sua desgraça. 
Há algum tempo atrás, uma mãe enviou uma mensagem para a escola: "Expulsem esse Boriska da escola, ele está ensinando nossos filhos a morrer..." Uma investigação foi realizada, e o menino tinha contado aos seus colegas sobre a reencarnação, falou sobre a reencarnação das almas e sobre o qual, aliás, ele é um exemplo e testemunha. Mas, ao que parece, a palavra e a ideia não era conhecida por muitos na escola, e por isso eles estavam muito preocupados com a possibilidade de suicídio entre as crianças.
Adicionado a seus problemas veio o divórcio de seus pais, e com ele a divisão do apartamento recém-obtido, o garoto teve de se mudar. Nesta luta não havia espaço para o garoto e seus problemas infantis: com fome, muitas vezes ele foi comer na casa de uma tia, deixando-o mais triste ainda. Um conhecido da família diz que hoje Boriska está passando por dificuldades: "As primeiras pedras foram atiradas em Boriska... e ele começou a se fechar." A principal razão, claro, é a atitude e maldade das pessoas. Os cientistas russos até hoje estudam esse caso. O professor Vladislav Lugovenko, doutor em Física-Matemática, do Instituto de Magnetismo Terrestre, da Academia Russa de Ciências (IZMIRAN) pretende continuar com os estudos sobre o garoto e escreveu um livro sobre Boriska onde revelações importantes foram relatadas. Será que um dia Boriska se pronunciará novamente? 

domingo, 15 de dezembro de 2013

Imobilismo Suicida?


 O que faz interiormente, ou exteriormente, um buscador da evolução ou mesmo uma pessoa comum quando percebe que o ser humano, em face do que está acontecendo à sua volta, apresenta um imobilismo que parece suicida?
Apesar de a espécie humana dar a impressão de ser a única espécie com problemas de adaptação neste planeta, soa inicialmente estranho falar sobre um imobilismo suicida do ser humano.  Os mais afoitos acham que algo deve ser feito.
A lógica, e o próprio equipamento adaptável e inteligente fornecido para os seres orgânicos sobreviverem no planeta, não corroboram essa postura de cômodo imobilismo do homem, pelo menos não individualmente. Talvez em grupo isso passe a ser verdade. Talvez. Mas há indícios de um descompasso entre o que está sendo mal feito no planeta e as consequências desastrosas disso para todos, sejam culpados ou não culpados. Aos partidários da necessidade de ação, parece que a maioria continua dançando alegremente uma valsa descompromissada, embalada pelos valores alienados desses nossos tempos, e ingenuamente descrente da chegada das consequências. Eles dizem que pode até não ser exatamente suicida, mas pelo menos lembra a impassividade dos animais que estão na fila do matadouro.
Você percebe algo?
Há realmente uma estranha sensação de desconforto no ar, turbinada pela mídia tresloucada e interessada nos índices de audiência, pelo catastrofismo e pelas “teorias do complô”, que tem aumentado sensivelmente a intensidade com o passar dos dias. Está ficando claro o fato de que a humanidade está sofrendo da “síndrome do avestruz”, ignorando persistentemente os sinais de que algo precisa ser feito, e comodamente metendo a cabeça no buraco. Há quem fale que isso sempre foi assim e que o que mudou é somente a globalização da informação que agora é transmitida em tempo real para qualquer confim do planeta, mas quem já passou dos 60 sabe que há algo diferente entre a calma aparente dos anos 60 e o que acontece agora.
Na postagem anterior no documentário Kymática o autor diz “Pare de culpar a tudo e a todos. Pare de temer a tirania global e desastres naturais e preste atenção. O mundo está lhe dizendo algo, está lhe dizendo exatamente o que está errado e como corrigir isso”.
Do outro lado, teorias não convencionais mas sérias afirmam que a Terra é um ser vivo e  de uma inteligência infinitamente maior que a humana, que usa a vida orgânica como um catalizador da evolução,  e que “mesmo a possível tentativa de destruição do planeta está nos desígnios dele mesmo”, ou seja a Terra consegue eliminar a sujeira física, emocional e mental deste vírus perigoso chamado Homem, ou ela tem que passar mesmo por essa catarse. Talvez seja verdade, mas dá uma impressão irresponsável de que “podemos relaxar e deixar o barco fluir, que no final dá tudo certo”. É o que está fazendo a maioria, apesar de que muita gente já está se preparando, saindo dos litorais, buscando regiões pacatas nas serras, aprendendo a plantar e colher, comendo uma alimentação natural, e por aí adiante.
Outros ainda afirmam nessa mesma linha, que temos que passar por isso, que é o preço da evolução da Consciência. Outros (veja Alex Collier, Jesse Ventura etc.) ainda acham que a coisa vai desandar e que além de um ser humano que não merece ser ajudado,  grupos secretos planejam um expurgo puro e simples de 2/3 da humanidade como se todos fossem inconvenientes e descartáveis. Já estão inclusive mostrando indícios aparentes desses planos em andamento principalmente nos EUA.
A questão, como sempre, é multifacetada e complexa. Não parece haver uma solução de o que fazer.
Afora essa tradicional e dual existência de varios grupos afirmando coisas contraditórias entre os humanos, quais são os indícios de que há algo no ar?
Notícias do Fim do Mundo
Primeiramente, nunca se falou tanto do final dos tempos. É como se algo estivesse sendo gestado no inconsciente coletivo e transpondo a fronteira com o consciente começasse a produzir um leve mas concreto mal estar que aos poucos começa a se alastrar entre as pessoas aumentando a intensidade. No início de uma forma irracional mas aos poucos sendo racionalizada e dando as mãos para as más notícias que a mídia traz normalmente graças à sua vocação espalhafatosa. É um círculo vicioso. Há teorias que afirmam que isso vem do inconsciente coletivo quando pressente a chegada de problemas.
Os Complôs
Esse aumento de notícias do fim do mundo começa a fazer compasso com as notícias de complôs de governos com  exércitos ou organizações ligadas ao complexo industrial e militar que desde o início dos estados nacionais se uniram para tirar proveito das guerras. São grupos para os quais os seres humanos são apenas recursos, matérias primas quantificáveis, enfim números nos relatórios. Eles acham que as guerras sempre ajudaram a manter o número de habitantes do planeta em níveis toleráveis, como fazem as pestes e acidentes naturais.
Superpopulação
Os cientistas prós e contras brigam e se desmentem sobre vários temas como: quantos habitantes a Terra suporta? Já passamos do limite? Deve-se limitar a população através de leis, penas ou incentivos? Mas a verdade é que hoje 14/12/2013 às 22,30 somos mais de 7,12 bilhões e ninguém sabe ao certo se o limite é mais ou menos que isso para se poder viver saudavelmente no planeta. Lembro-me de um experimento de análise de superpopulação real de ratos em ambiente fechado onde após certo limite de população começavam a agressividade, canibalismo e desvios sexuais.
Meio ambiente
Nesse aspecto fica clara a irresponsabilidade de pessoas e governos: fala-se que já passamos do “ponto sem volta” em termos da degradação do planeta (eliminação das florestas e recursos naturais, volume de danos gerados na terra, ar e água, como lixo doméstico e industrial do tipo CO2, lixo químico, hospitalar, atômico, acidentes nucleares, vazamentos de petróleo e gases). Isso sem contar o uso “normal” de produtos químicos na agricultura, as notícias de trilhas químicas estranhas espalhadas nos céus, experimentos bélicos sonoros testados nos oceanos exterminando espécies e deformando o complicado e delicado equilíbrio de vida. Além disso o desmatamento criminoso, mineração , transformação de florestas em pastagens de animais menos produtivas que a agricultura, eliminação de espécies animais e vegetais na terra, mar e ar para satisfazer  à sanha dos negócios.
Extermínio
Hoje porém com o aumento da expectativa de vida da população devido a progressos na medicina de massa, mais o aumento natural de população de países pobres e com religiões que incentivam a procriação, já proliferam teorias de  grupos de extermínio de massa que planejam reduzir a população mundial. Eles tem até nome e identificação nos meios de comunicação e são chamados “iluminattis” numa alusão a serem os eleitos. A bucha de canhão seríamos nós.
Capitalismo irresponsável
O pano de fundo econômico que alimenta o apego e voracidade do ser humano é o capitalismo, que após o fiasco do regime comunista na União Soviética ficou como a única possibilidade de satisfazer o “Estado do Bem Estar” para países e indivíduos. Como não tem mais opositores propaga os seus valores e regras apesar de ficar óbvio que  elas são o oposto de qualquer tentativa de o ser humano resgatar seus valores reais, viver uma vida mais de acordo com seus ritmos internos, e buscar uma evolução interior real fora do consumismo e competição desenfreados.
A Saúde / Alimentação
As curvas de crescimento de doenças na população mundial, guardadas as diferenças regionais, nacionais e raciais estão explodindo exponencialmente apesar  do crescimento de descobertas de técnicas novas da medicina que infelizmente não conseguem acompanhar o andar da carruagem. Há um aumento mundial de de câncer, Alzheimer, doenças nos ossos, coração, neurológicas, depressão, psicoses e por aí afora.
Como a saúde está intrinsecamente ligada à alimentação, os ritmos opressivos somam-se à qualidade do alimento prejudicada pelos venenos ministrados pela indústria de alimentos, permitidos pelas autoridades governamentais e normas criminosamente permissivas, e ignorados pela população inculta, ingênua, despreocupada. Estão nessa lista o sal refinado, o açúcar branco, os adubos químicos antinaturais, os remédios e “bombas químicas” ministradas aos animais com o objetivo de engorda, aceleração de gravidez e produtividade. A internet tem um material assustador sobre esses temas, mas as pessoas não relacionam isso com a carne comprada nos supermercados. São dois mundos diferentes e incomunicáveis.
Sabe-se que além da qualidade da alimentação que é prejudicada pelos ritmos não naturais das atividades profissionais no sistema econômico, há o stress emocional da competição acirrada, do trânsito infernal, do medo do desemprego e das doenças, da insegurança física, da violência crescente, etc.
Uma vez perguntei a uma amiga como ela se sentia sendo diretora de uma multinacional de cigarros. Ela preferiu mudar de assunto. É curioso que todo mundo conhece ou tem alguém amigo ou parente trabalhando em empresas e entidades sabidamente prejudiciais à saúde das pessoas. Parece que essas pessoas não tem nada a ver com isso, e à noite encostam a cabeça no travesseiro e dormem o sono dos justos. Estão apenas cumprindo ordens. Os interesses são mais fortes que os ideais ou o bom senso. Porque o ser humano é assim?
Acidentes Naturais
A cada dia aumentam as tensões relativas à insegurança física no planeta devido a notícias sobre vulcões, tempestades, tsunamis, camada de ozônio, aquecimento dos polos. Quando se esgotaram os temas sobre meteoros e cometas que eliminaram espécies, a mídia tem orgasmos em explorar como seria se um tsunami atingindo Nova Yorque vindo de um possível deslizamento das Ilhas Canárias, um terremoto na Califórnia, uma explosão em cadeia no anel de fogo dos vulcões da costa do pacífico. Coisa de louco.
Aumento de Criminalidade
O mundo experimenta uma onda desumana de ódio, crimes ligados a sexo e drogas, violência gratuita de pessoas, entidades e governos e  grupos religiosos  extremistas matando em nome de Deus, petróleo e outros interesses econômicos.

Após esse quadro que aumenta de intensidade com o passar do tempo, caminhando para um impasse, voltamos à pergunta inicial: O que faz interiormente, ou exteriormente, um ser humano buscador da evolução ou mesmo uma pessoa comum quando percebe que o ser humano, em face do que está acontecendo à sua volta sofre de um imobilismo que parece suicida? Como encarar essa tensão que está no ar? Há algo que se pode ou se deve fazer?
Na postagem Matias de Stefano - Metamorfose / Como Agir, ele dá algumas dicas. Vamos repetir resumidamente porque nunca é demais. Aconselhamos, porém, a ver a postagem nos detalhes porque eles dão um caminho prático e saudável apesar de exigir mudanças interiores que podem não ser fáceis. Em resumo:
  • Vida simples, focada no Aqui e Agora, desconectada do velho mundo (passado) e experienciada na Liberdade, mantendo em seu coração as sábias palavras de São Francisco de Assis: “Preciso de pouco e do pouco que eu preciso, eu preciso pouco”.
  • Prática de uma vida simples. 
  • Interiorização de que nada tem de mudar, porque tudo é Perfeito. 
  • Pratique a Aceitação. Se você esperar mudanças  é porque seu coração ainda não aprendeu a Aceitação.
  • Você não vai assistir a mudança alguma, mas no livre arbítrio, você irá experimentar em primeira mão, ou seja, em você e a partir de você, uma Metamorfose Evolutiva tão profunda quanto natural. Reforce essa percepção dentro de você, pois  vai precisar dela para o que está por vir.


Gregg Braden diz que se um determinado número de seres humanos dirigissem regularmente a sua Atenção e Vontade para o planeta na meditação, eles influenciariam o planeta e mudariam a situação.
Se alguém me perguntasse: E você escriba, responda o que está fazendo em uma só frase curta. Eu diria:
“- Estou experimentando além disso que disse o Matias, praticar a Presença no Agora. Todo o tempo. Inclusive no sonho"

Não há mudança real fora, se não vier de dentro.







quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Kymatica

Kymatica, cujo significado pode ser "frequência de vibrações", é um documentário independente de Ben Stewart, que fez também “Esoteric Agenda” e “UnGrip”. É um questionamento profundo da situação e consciência do ser humano nos dias que correm.  Tem algo indisciplinado e ao mesmo tempo sério nesse documentário, como um mosaico da situação do homem, da criação, do conhecimento, das lendas, evolução, consciência, como se tudo o que existe fosse uma coisa só, um ser inteligente...bem no conceito do Somos Todos Um.
Recusando-se ao lugar-comum comportado do tipo “começo-meio-fim”, ele vai jogando as imagens e informações multifacetadas de uma forma surrealista, como a música Águas de Março do Tom Jobim, obrigando a gente a participar de uma forma interativa para obter a formação do nexo das impressões recebidas. Belezura. Um outro jeito de ver o mundo.
Apesar de às vezes parecer aparentemente duro, não culpa ninguém pelas nossas desgraças a não ser nós mesmos. "Não há ninguém lá fora de cada um de nós, nenhuma mão controlando nada", nenhuma elite a não ser nós mesmos criando na mente e no mundo toda essa coisa injusta e confusa, como um holograma que ganha vida e se auto-realiza. Nós é que causamos esses solavancos, e por uma boa razão: estamos evoluindo e portanto enfrentando os nossos demônios. É uma visão interessante. Tomara que o nosso filme, o da humanidade, acabe com um final feliz.
Há algumas pérolas:

  • “Pare de culpar a tudo e a todos. Pare de temer a tirania global e desastres naturais e preste atenção. O mundo está lhe dizendo algo, está lhe dizendo exatamente o que está errado e como corrigir isso.”
  • “A evolução humana, a evolução da Terra e a evolução da consciência, são uma coisa só”
  • “A espécie humana é uma espécie que não parece se adequar tão bem quanto às outras“
  • “O que se passa fora é o reflexo do que somos interiormente. “Preferimos um milhão de 11 de Setembro a um momento de percepção verdadeira do nosso auto-ódio“

Há passagens que lembram o que Alex Collier ouviu e reproduziu de alguns seres a respeito dos humanos, sobre o fato de a espécie humana não merecer ser ajudada “porque não respeita os seus semelhantes, nem o meio ambiente e nem a si mesma. É perigosa. E cheira mal (sic).
Outras passagens lembram semelhanças conceituais com o conceito da Hipótese Gaia de James Lovelock, que afirma que “a terra é um ser consciente de inteligência infinitamente superior ao humano”. O motivo porque isso parece difícil de entender (que o universo é um único organismo vivo e consciente, completamente ciente de si) é o nosso conhecimento tipicamente limitado pela nossa linguagem flexiva, que funciona no modo "sujeito-verbo-complemento", e não como a linguagem oriental que funciona com ideogramas. A diferença brutal é a mesma entre uma frase e um holograma ou uma imagem fractal. Esses 2 últimos são partes, que tem o todo dentro de si. Não são unidades estanques e portanto egoistas.
Outras passagens ainda nos remetem às  visões e afirmações duras e iradas de Terence McKenna,  ou outras do filme Zeitgeist  de Peter Joseph.
Vamos lá:







domingo, 8 de dezembro de 2013

Pirâmides: O enigma

As pirâmides são um completo mistério. Tanto a forma geométrica quanto os monumentos construídos. A etimologia da palavra em grego sugere o significado “medida do fogo”. Ou "medida da energia", algo assim. É a forma física roçando o significado da essência na consciência, como diria Nietzsche. 
A palavra "pirâ+mide" se forma da palavra grega "pyra" que quer dizer fogo, luz, e "midos" que significa medida. O pessoal do History Channel acha que o significado de pirâmide é "fogo no meio", como se "midos" em grego fosse "middle" em inglês (argh!)
Há muita gente pesquisando as pirâmides e eu me lembro nos anos 60 quando as pessoas começaram a construir pequenas e grandes pirâmides para ficar sob elas, meditar, conservar coisas, e receber os seu efeitos curativos ou evolutivos. Tudo muito intuitivo, sem se saber exatamente o que iria acontecer. Parece que ninguém se machucou até hoje...
Vamos lá:
“Há estruturas misteriosas localizadas por todo o mundo. É como se todos estes antigos construtores fossem da mesma escola. Magníficos monumentos emitindo uma poderosa energia. Quando você entra nela, tem a sensação de que está nas mãos de uma inteligência extraordinária.
Será que o homem antigo construiu as pirâmides como câmaras funerárias? Se você quisesse construir um túmulo, por que usar dois milhões e meio de blocos de pedras? Ou eles serviam a outro objetivo, muito mais profundo? Você tem que pensar que quem quer que guie uma rede tão precisa de pirâmides deve ter sido de uma cultura muito avançada. Provavelmente extraterrestres.
 Milhões de pessoas ao redor do mundo acreditam que fomos visitados no passado por seres extraterrestres. E se fosse verdade? Será que antigos alienígenas realmente ajudaram a moldar nossa história? Se sim, poderia haver uma conexão extraterrestre por detrás dos segredos das pirâmides? 

OS SEGREDOS DAS PIRÂMIDES 
Em Jebel Barkal, Norte do Sudão; Tamil Nadu, Índia Ocidental; Templo de Ur, Sudeste do Iraque. 
Dos zigurates da antiga Babilônia, até os templos do Reino de Kush, pirâmides datando de 3 mil AC já existiam em todo o mundo. 
As pirâmides possuem diversas formas e tamanhos. No México, por exemplo, há pirâmides circulares e de degraus, já em Uxmal na Península de Yucatán, os cantos são arredondados. Na Índia, as pirâmides são muito, muito altas, direto pra cima. A mesma coisa acontece com as pirâmides na América Central. Elas são em degraus com o topo reto, enquanto as pirâmides do Egito tem a forma mais conhecida. São diferentes.
Uma pirâmide é bastante simples. Normalmente você tem uma base quadrada e quatro lados que formam um triângulo cada e encontram-se no topo. Se você quiser fazer alguma coisa alta, a primeira coisa que faria seria algum tipo de pirâmide, porque é a estrutura mais estável que se poderia imaginar.
 Você tem 250 pirâmides na Província Chinesa Central de Shaanxi. Há dezenas de pirâmides no meio do Oceano Índico nas Ilhas Maurício. Ilhas Canárias, Norte do Sudão. E no Egito, claro, 155 delas. Mas também, 300 pirâmides no Peru. Pirâmides na Bolívia. E, claro, mais de 10 mil pirâmides na América Central. Então elas são um fenômeno mundial. Como é possível que civilizações espalhadas pelos cinco continentes tenham todas construídas estruturas piramidais semelhantes? 
Os Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam que a maioria das pirâmides foram feitas por construtores com os mesmos conhecimentos avançados de matemática, astronomia, e das propriedades geofísicas da Terra. Em Montevecchia, Milão, Itália, as pirâmides daquele local parecem mostrar uma semelhança muito clara com as pirâmides no planalto de Gizé. Mas, sem qualquer tipo de contato transoceânico, como é possível que todas estas culturas antigas tivessem um estilo semelhante de construção? 
O templo Candi Sukuh na Indonésia tem vários traços idênticos aos das pirâmides de Chichen ltza. Outro templo hindu no Camboja se assemelha misteriosamente a um templo maia em Tikal. Uma possível explicação para tudo isto é que todas estas culturas aprenderam a construir estas pirâmides dos mesmos professores. Parece ser comum na pré-história essa coisa de todos construírem pirâmides. E parece que veio de uma cultura muito mais antiga e isso ressoou por todo o mundo. Isso realmente é um dos grandes mistérios das pirâmides em si, que elas parecem estar por toda parte e parecem ter um design e geometria semelhantes, e ainda os mesmos sistemas de medidas frequentes. Então, realmente parece ser o mesmo grupo de pessoas ou seres que construíram essas pirâmides. Vemos muitas semelhanças, em termos de composição e culturas, tão antigas como Peru e e Egito e os Olmecas do sul do México. É bem possível que o antigos egípcios e os antigos peruanos estivessem conectados, e que, fossem de um lado para o outro se visitando e influenciando as culturas um do outro.
Planície de Gizé, Egito: 
Aqui, no deserto ao lado do Cairo, está a Grande Pirâmide de Quéops. 4.500 anos atrás, foi a mais alta e mais impressionante estrutura feita pelo homem na Terra. Mas exatamente como e o porquê a pirâmide foi construída ainda permanece um mistério. A Grande Pirâmide é o lugar mais maravilhoso do mundo. E quando se está de frente a ela, você se depara com o maior mistério de todos os tempos. Quem a construiu? Como poderia ter sido construída? Por que é que ainda está de pé? E então quando você entra nela, tem a sensação de que está nas mãos de uma extraordinária inteligência. Você tem uma estrutura de 146 metros de altura, que abrange 5,3 hectares. Há ali dois milhões e meio de blocos de pedra. As pedras mais pesadas pesam 70 toneladas. Cortaram milhares de toneladas de granito, a 800 quilômetros de distância. É uma estrutura incrível. Para mim, a coisa mais intrigante é a escala do projeto. Se você quisesse construir um túmulo, tudo bem, mas por que com 146 metros de altura, por que usar dois milhões e meio de blocos de pedras com uma massa de seis milhões de toneladas? 
Os principais arqueólogos teorizam que a Grande Pirâmide foi construída em algum momento por volta de 2500 AC, como o túmulo do faraó Quéops. Mas essa alegação ainda tem que ser comprovada, e o debate entre os vários pesquisadores sobre quem ou para que finalidade a estrutura foi construída continua. Dizem que a Grande Pirâmide era uma tumba para o faraó, mas nunca foi encontrado um corpo no interior da Grande Pirâmide. Foram encontradas pirâmides na década de 1950 por egiptólogos respeitados em que o túmulo foi selado e o sarcófago estava intacto. E dentro não havia corpo. Não havia cadáver. Não havia nem mesmo um caixão. E assim esta noção de que nós temos que ladrões de túmulos, de alguma forma, foram responsáveis por tudo já não pode ser mantida. Deve haver uma razão para estarem lá. Elas são um tremendo dispêndio de recursos, e se não fosse por um líder reverenciado, tinham que trazer algum benefício para a civilização que a construiu. É uma grande controvérsia. Ninguém sabe por que nossos ancestrais construíram pirâmides. Mas se as pirâmides de Gizé não foram destinadas a guardar os restos mortais dos faraós, então por que estes imponentes monumentos foram construídos? Poderia haver uma conexão entre a pirâmide de Quéops e as pirâmides pelo mundo, uma conexão que se perdeu com o tempo? Ou seria possível que os construtores destas maravilhas da engenharia tivessem uma inspiração de outro mundo, como os Teóricos dos Antigos Astronautas sugerem? 
Tanto os maias quanto os egípcios têm lendas que os deuses desceram e lhes deram instruções para a construção de pirâmides. Por exemplo, para os egípcios, o famoso deus Thoth é conhecido como o Arquiteto do Universo, e foi ele quem supostamente concebeu todo o complexo das pirâmides de Gizé. Imhotep, a pessoa responsável pela primeira pirâmide, na verdade disse que recebeu estas informações dos deuses. Tanto que Deus apareceu a ele e lhe disse que ele poderia acessar estas informações de um reino diferente, e de lá começou o processo de construção de pirâmide. O fato de que diferentes culturas ao longo deste planeta terem estruturas semelhantes, acredito eu, é espantoso. O que fez a humanidade decidir fazer esses objetos em forma de pirâmide, a menos que fossem informados, ou recebessem plantas? As estruturas são tão incrivelmente perfeitas Você tem que chegar a conclusão de que é muito possível que extraterrestres viram estas civilizações e lhes deram conhecimento e partiram. 
Poderiam as milhares de pirâmides encontradas em todo o mundo terem uma conexão extraterrestre comum, como os Teóricos dos Antigos Astronautas afirmam? Talvez outra prova possa ser encontrada olhando as pirâmides não a partir do solo, mas de cima. Enquanto voava sobre o planalto de Gizé, um piloto da Força Aérea Britânica fotografou uma das características mais surpreendentes da Grande Pirâmide. A estrutura tem, na verdade, oito lados, em vez de quatro. Este fenômeno desconcertante apenas é detectável do alto na manhã e no pôr do sol dos equinócios da primavera e do outono, quando o sol lança sombras sobre a pirâmide que revelam os oito lados, uma construção ligeiramente côncava. Este é um show de luzes em que os antepassados que a construíram sabiam que algo visualmente espetacular seria visto na passagem destes dias importantes. Percebemos que quem construiu isto estava ciente do ciclo da energia solar e também sabemos que a pessoa que construiu tinha uma compreensão extraordinária de matemática. Todas estas coisas deixam claro que de todas as pirâmides, a Grande Pirâmide realmente é única. Por que é a forma verdadeira da Grande Pirâmide só é visível de cima e no equinócio? E como o homem antigo criou um projeto tão complexo que é exposto apenas duas vezes por ano e só pode ser visto do espaço? Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam que pistas podem ser encontradas examinando a única característica geográfica e arquitetônica da imponente estrutura. Segundo estudiosos, a Grande Pirâmide foi construída sobre o que é considerado como sendo o centro de todas as massas de solo da Terra. A estrutura maciça é quase alinhada perfeitamente com o norte magnético. Dentro da pirâmide, os projetistas acrescentaram dutos pequenos alinhados a duas constelações específicas, de Órion e Sirius. Os quatro dutos não só são perfeitamente alinhados num eixo norte-sul, mas um deles também aponta diretamente para o Cinturão de Órion. Cientistas ortodoxos acreditam que dutos como estes eram simplesmente usados como ventilação durante a construção, mas pode haver outra razão pela qual se alinham com as estrelas? Eles costumavam chamá-los de dutos de ar da Grande Pirâmide. Agora são conhecidos como dutos estelares. É sabido terem sido orientados à passagem do cinturão de Órion, e acredita-se terem representado a libertação da alma de volta à sua origem. Há muita coisa que sugere que esta correlação não é uma coincidência. 
Sabemos que os antigos construtores das Pirâmides egípcias acreditavam que o rei se tornaria uma estrela em Órion. A coisa mais extraordinária que acho de nossas civilizações antigas é esta: temos dois belos complexos de pirâmides, um em Teotihuacan, outro em Gizé. 
Teotihuacan foi criada de acordo com um desenho específico. Dentro de seu projeto, temos uma representação do nosso sistema solar. Mas também sabemos que, o Templo do Sol, o Templo da Lua, isto é, duas pirâmides, e o Templo de Quetzalcoatl estão na mesma disposição do Cinturão de Órion, e que as três pirâmides do Planalto de Gizé foram estabelecidas da mesma forma. Assim, quando olhamos para estas construções, descobrimos que elas estão mapeadas de acordo com o mesmo princípio, e incorporando a mesma informação. Todo o conceito de que as três pirâmides de Gizé estão em alinhamento especial com Cinturão de Órion é muito interessante. 
Os maias construíram centenas de milhares de pirâmides em toda a América Central. Muitas dessas pirâmides podem ser projetadas para refletir certas constelações no céu, como a Constelação de Órion ou outras. Há um velho ditado (NR - Tábua de Esmeralda de Hermes Trismegistos): "Como é acima, assim é abaixo". Mas por que os construtores das pirâmides as projetaram para refletir constelações de estrelas? Talvez a razão específica da alocação das pirâmides na Terra seria algo que só os antigos entendiam? Pirâmides, em geral, tendem a ser muito grandes em escala, e só podem ser realmente vistas de cima, então é bem possível que as pirâmides mais antigas fossem feitas como faróis, como uma maneira para aqueles que não são deste mundo se conectarem com os que são. Talvez eles estivessem se movendo ao redor da Terra e usando esses lugares, não apenas como sagrados, mas para saber onde eles estavam. Estas pirâmides eram como marcadores geodésicos, marcando pontos de poder ao redor do planeta. Realmente podem ser vistos do céu. Eles são quase concebidos de cima. Acredito que há um profundo mistério nelas, e temos que olhá-las de uma perspectiva diferente para tentar encontrar a resposta para esse mistério. É possível que milhares de pirâmides espalhadas em todo o mundo já foram parte de uma rede coesa? Uma rede que só poderia ser entendida do céu? E quem, ou o que, poderia ter coordenado um design tão preciso?
Magelang, Indonésia: 
O Templo Borobudur na ilha de Java é o maior monumento budista do mundo. Construído durante os séculos VIII e IX d.C., esta estrutura religiosa, com a sua base larga e com vários níveis, é outro exemplo de pirâmide. Consistindo de seis terraços retangulares e cobertos por três terraços circulares concêntricos, este intricado projeto de pirâmide tem intrigado os estudiosos, especialmente quando visto do céu. Borobudur definitivamente não é uma pirâmide óbvia, mas é uma pirâmide. É uma pirâmide de degraus sobre os quais foram construídas estruturas. O templo de Borobudur é conhecido como um santuário, mas também é um lugar de peregrinação, onde as pessoas começam na base e se dirigem até o topo, que teoricamente é como chegar ao Nirvana. Borobudur, na Indonésia é um dos lugares mais incríveis do mundo. Número um: é incrivelmente bonito. Mas, número dois: a mensagem que ele transmite é absolutamente espantosa. Porque o que temos lá é um monte do templo, um monte do templo para as estrelas. De cima, o templo tem a forma de uma mandala Budista gigante, um único diagrama circular representando tanto o cosmo como um lugar espiritual para a oração e meditação. O desenho indica que esta pirâmide já foi um lugar onde o homem se conectava com os deuses. Pesquisadores questionam o porquê e como os construtores criariam um símbolo religioso tão intrincado que só pode ser visto do céu. Mas de acordo com os Teóricos dos Antigos Astronautas, a resposta pode ser encontrada na parte superior da pirâmide, onde há 72 estruturas em forma de sino conhecidas como estupas, cada uma abrigando uma estátua de Buda sentado. Eles são considerados como ovos do mundo, ou úteros de transformação. É fascinante, porque na Índia, a palavra para "stupa" é a palavra “sicarra”, o que significa torre. “Sicarra” é muito parecida com a palavra egípcia “Sicarra”, que é o lugar da pirâmide de degraus, ou a Escada para o Céu, e isso me faz pensar se os antigos egípcios e os antigos indianos estavam nos dizendo a mesma coisa sobre as estupas, que estes são de fato úteros de transformação, escadas, ou escadarias cósmicas, para os céus. A jornada não acontecia em suas cabeças. Não era algo etéreo. Não era algo espiritual. Aconteceu. Contato extraterrestre aconteceu na Indonésia milhares de anos atrás. Seriam essas estupas realmente construídas como uma representação de iluminação espiritual, como os principais arqueólogos acreditam? Ou poderiam ter sido construídas para servir a outro propósito ainda mais profundo? Seria possível que os antigos habitantes da Indonésia na verdade testemunharam um evento extraterrestre? Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam que provas podem ser encontradas nas ruínas arqueológicas das pirâmides antigas, prova que está escondida à vista de todos. 
Província de Shaanxi, China, 1947. 
Ao voar 65 quilometros a sudoeste de Xi'an, o coronel Maurice Sheahan descobriu um monte misterioso gigante isolado na planície de Qin Chuan. Em alguns dias, Sheahan relata o fato ao New York Times, descrevendo o que ele acreditava ser uma gigantesca pirâmide na China, deixando a Grande Pirâmide do Egito como uma anã. Desde que a história começou, mais 37 pirâmides em forma de monte foram identificadas na China, incluindo o mausoléu do primeiro Imperador Qin, onde milhares de estátuas de terracota guerreiro foram enterradas no século III AC. Mas enquanto os principais cientistas afirmam que os montes são simplesmente túmulos dos primeiros imperadores da China, alguns pesquisadores acreditam que eles são de fato pirâmides que foram acobertadas pelo governo chinês. Temos imagens destas, e está bastante convincente de que são estruturas piramidais. Estão na zona proibida da China, por isso, infelizmente, não podemos ir lá. Mas isso levanta a questão: O que está acontecendo? As pirâmides na China foram um mistério para o mundo exterior por muito tempo. Tivemos algumas fotos durante os anos de 1940 e 1950 e, durante os anos 1970 e 1980, o governo chinês ordenou que vegetação fosse plantada no topo dessas pirâmides. Eles queriam mostrá-las para o mundo exterior como colinas naturais. É interessante notar que as estruturas piramidais na China foram propositadamente cobertas com plantas e vegetação pelo governo apenas para parecerem colinas normais. Talvez por causa do significado dos artefatos e a presença do que aconteceu no passado nestas estruturas, eles não querem que turistas ou qualquer um perturbem estes locais sagrados. Por que o governo chinês tem tentado esconder estas estruturas gigantes? Seria realmente, para proteger os túmulos sagrados dos antigos imperadores da China? Ou o governo estaria tentando esconder um segredo mais profundo? Uma interessante correlação com isto é que antigos imperadores chineses alegaram contato com extraterrestres em seus escritos. E eles afirmaram que pessoas do céu desceram e ajudaram com conhecimento, e, portanto, pode haver um registro histórico que vincularia estas pirâmides a visitantes de outro planeta. Seria possível, como os Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam, que as pirâmides chinesas, como outras encontradas em todo o mundo, tenham uma conexão extraterrestre? E isso poderia explicar por que o governo chinês quer escondê-las? Se sim, poderia haver mais pirâmides escondidas, ainda não descobertas, em outros países... países que queiram garantir que a verdade de sua origem extraterrestre nunca seja conhecida? 

Visoko, Bósnia. 
Desde 2005, estas colinas em forma triangular, localizadas a 32 quilômetros a noroeste da capital Sarajevo, foram objeto de um polêmico debate entre os cientistas ortodoxos e vários pesquisadores internacionais liderados pelo historiador e arqueólogo bósnio Dr. Sam Osmanagich. De acordo com Osmanagich, as colinas são de fato pirâmides projetadas, incluindo duas: a Pirâmide do Sol e a Pirâmide da Lua, que são mais altas do que qualquer pirâmide no Egito. Parecem colinas, mas você pode ver quatro faces triangulares, cantos óbvios, e quando eu uso a bússola, ela me mostra que os lados coincidem com os pontos cardeais: leste, oeste, norte e sul. A orientação dos lados da Pirâmide do Sol na Bósnia é a mais precisa do planeta. Há pessoas que olham para as colinas de Visoko, na Bósnia, e veem uma pirâmide que se parece com uma colina. Outras veem um monte que se parece com uma pirâmide. Quando eu fui lá, estava procurando por evidências de pedras cortadas. Parecia haver evidência de atividades humanas que são muito anteriores do que se acreditava antes. A teoria de Osmanagich sugere que as pirâmides foram construídas pelo povo lllyrian, que habitou a Península Balcânica muito antes do século XII AC. Pouco se sabe sobre os pré-históricos lllyrians, mas Osmanagich acha que eles eram mais sofisticados do que muitos especialistas têm sugerido. As pirâmides foram construídas por civilizações muito mais avançadas do que somos hoje. Você encontra material que age como cimento sobre os blocos das pirâmides bósnias, temos a idade de 12.350 anos, significando que são as pirâmides mais antigas do planeta. E elas exigem que os nossos livros de história sejam alterados. A principal corrente de geólogos insiste que as montanhas são simplesmente formações geológicas de pedra natural e solo, e que a teoria da pirâmide de Osmanagich não tem credibilidade. Mas Osmanagich alega ter descoberto evidências de construção humana avançada incluindo um platô de entrada pavimentado, uma extensa rede subterrânea de túneis e câmaras, e blocos de construção de concreto, cada um pesando até 36 toneladas. Toda a Pirâmide do Sol é coberta por cerca de 18 milhões de toneladas de concreto. Nós analisamos os materiais em seis laboratórios. A resposta é sempre a mesma. Trata-se de concreto artificial, que possui três vezes mais qualidade do que aquele que nós temos no século XXI. Onde eles encontraram o material para construir essa enorme pirâmide? O que estamos começando a perceber sobre o local das pirâmides bósnias não é apenas que estamos lidando com um dos mais gigantescos complexos de pirâmides do mundo e um dos mais antigos, mas também que a abordagem tomada provavelmente vai nos mostrar uma enorme quantidade de material novo, não apenas sobre as Pirâmides bósnias em si, mas sobre as pirâmides em todo o mundo. Apesar das descobertas de Osmanagich, os principais cientistas continuam a negar a existência das pirâmides bósnias. Mas por quê? Há algo oculto nestas colinas que o governo quer segredo, assim como as pirâmides da China? Parece que fomos condicionados desde a infância, a partir de textos como o Alcorão e a Bíblia, que somos limitados em termos de quanto tempo existimos como um povo civilizado. Mas as tradições orais de muitas culturas afirmam claramente que nossa humanidade retrocede ainda mais no tempo que a ciência ocidental acredita. Ciência convencional é quase um sistema fechado. Eles têm um sistema de crenças muito bem estruturado, e qualquer coisa que não caiba dentro desse sistema é simplesmente rejeitado ou escondido de nós. É isto que chamamos arqueologia proibida. Podemos vê-los. Podemos explorá-los. E as coisas que já foram exploradas conduzem à ideia de que estes lugares foram, de fato, construídos artificialmente. Assim, por que todo o segredo sobre as pirâmides bósnias? Bem, se as pirâmides bósnias foram de fato feitas pelo homem, então isso põe toda a história da Bósnia de cabeça para baixo. Pois, quem foram os construtores? Quem foram os professores dos construtores? E assim, toda uma nova linha de questionamento se abre. Poderiam as chamadas formações naturais encontradas na China e na Bósnia realmente serem pirâmides feitas pelo homem? Se sim, talvez a descoberta de quem projetou estas pirâmides revele informações como porquê elas foram construídas? Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam que a resposta possa ser encontrada nas modernas pirâmides da Rússia. 
Moscou, Rússia
Cada ano, centenas de milhares de visitantes viajam para um local 40 quilômetros ao noroeste da capital da Rússia, onde dizem que uma enorme pirâmide de fibra de vidro amplifica e concentra energias de cura da Terra. A estrutura de 44 metros de altura e 55 toneladas é a maior entre as 17 pirâmides localizadas em toda a Rússia, e foi financiada e construída pelo cientista russo e empreiteiro, Alexander Golod. Muitas pessoas não percebem que há grandes pirâmides modernas na Rússia e na Ucrânia. E isso porque, por volta de 1989, Alexander Golod de Moscou acreditava que as pirâmides produziam grandes campos de energia que poderiam afetar tanto materiais biológicos quanto não biológicos. Nos últimos dez anos, os cientistas russos têm visto a questão energética das pirâmides profundamente, e demonstraram que ao colocar coisas dentro da pirâmide, isto promove crescimento, saúde e longevidade. Eles descobriram, por exemplo, que se você tomar antibióticos, e se tratar-se em uma pirâmide por um período de um ciclo da lua, ou cerca de 28 dias, o poder do antibiótico será multiplicado dezenas de milhares de vezes. A existência deste campo magnético tem sido documentada. A Força Aérea da Rússia notou um grande campo de energia em seu radar, a 1,6 quilômetros de altura, passando sobre a grande pirâmide de Golod, em Moscou. E, portanto, eu acredito que todos estes efeitos foram causados por esses campos de energia. Seria possível que o efeito da energia da pirâmide de Golod seja um fenômeno que só agora os cientistas estejam começando a entender? Ou civilizações antigas em todo o mundo poderiam ter conhecido o poder das pirâmides milhares, se não dezenas de milhares de anos atrás? 
A localização das pirâmides é muito interessante, porque parecem estar onde a energia está. Acho que os antigos compreenderam isso cuidadosamente, mas também foram mapeando o planeta, ao mesmo tempo. Eram como estruturas multifuncionais e foram deixadas lá para as gerações futuras trabalharem-nas, e eles codificam um elevado grau de conhecimento na matemática e geometria, e nós estamos apenas começando a compreender a natureza disso agora. Se você tem certas energias subterrâneas, uma vez que se coloque uma pirâmide sobre ela, então a pirâmide pode explorá-la, pode usar, multiplicar os efeitos de energia 10 ou 50 vezes. E então você tem uma máquina de energia perfeita. A palavra "pirâmide" vem do grego antigo, significa "fogo no centro" (?). Os antigos gregos pensavam que a forma geométrica das pirâmides focavam energia cósmica, e que as pirâmides em todo o mundo eram algum tipo de coletores de energia. Antigas civilizações poderiam construir pirâmides, não apenas para representar uma conexão cósmica simbólica, mas para marcar um lugar de contato real com extraterrestres, como muitos Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam? 
Alguns pesquisadores sugerem que a evidência pode ser encontrada na América Central, onde os maias construíram mais templos de pirâmide que qualquer outra civilização da antiguidade. Em termos de construtores de pirâmide, é seguro dizer que os maias criaram mais pirâmides que todos as outras culturas juntas no mundo. Mas as funções dos edifícios na clássica sociedade Maia é realmente um dos pontos mais fracos da arqueologia. Não temos uma boa ideia sobre para que as pirâmides eram usadas. Em diferentes cidades maias temos muitas pirâmides. 
A maior cidade maia foi Tikal. Está na hoje na Guatemala, e tinha cerca de 80 pirâmides. E em cima destas torres, havia pequenos templos onde se esperava a vinda de um deus. Em todas estas pirâmides, apesar de terem um templo no topo, também tinham uma câmara no interior. E sabe-se que certos rituais foram realizados dentro destas câmaras. Estas câmaras também foram identificadas como locais de transformação, em que as pessoas tinham que entrar e sair de forma diferente. Diferente, porque tiveram contato com os deuses. Os maias, como muitas outras culturas antigas, viam os planetas, a lua e o sol como deuses. Acho que foi a motivação para os Maias coletarem incríveis dados sobre planetas para tentar ver os padrões dos deuses e como poderiam imitá-los e honrá-los. Em muitos dos sistemas religiosos de crenças a função da pirâmide era ligar o que estava acima com o que está abaixo. Isto é simbólico. Isso pode significar, simplesmente, que pessoas estavam chamando pelos deuses do topo dessas pirâmides, ou poderíamos ir muito mais fundo do que isso. Poderia ser uma conexão real entre os seres humanos e seres de outros planetas. Seria possível que aos Maias, e a outras culturas antigas, foram dadas informações sobre as propriedades de produção de energia das pirâmides vinda de seres extraterrestres? Se sim, qual poderia ser a verdadeira função destas estruturas? Teóricos dos Antigos Astronautas acreditam que a grande pirâmide de Gizé pode ser a prova definitiva de que as pirâmides podiam gerar energia suficiente para alcançar, não apenas todo o planeta, mas todo o universo. 
Gizé, Egito. 
Em 1977, e novamente em 1987, engenheiro eletrônico e inventor Joe Parr conduziu experimentos no topo da Grande Pirâmide. Utilizando equipamentos projetados por ele próprio, Parr mediu as propriedades elétricas, magnéticas, e radioativas das pirâmides. John de Salvo, Phd, diretor da Associação de Pesquisa da Grande Pirâmide de Gisé, afirma:
Joe Parr, que era meu amigo muito próximo e colega de pesquisa, descobriu o que eu acredito ser a mais incrível descoberta sobre a Grande Pirâmide e as pirâmides em geral. Joe acreditava que as pirâmides tinham um campo de energia em torno delas. Todas as pirâmides tinham. O problema é a que o campo de energia da pirâmide normalmente não era forte o suficiente. Então, ele desenvolveu em seu Laboratório um método para gerar esta energia da pirâmide. Então ele poderia realmente fazer estudos científicos sobre isso. Durante as últimas décadas pessoas fizeram experiências com pirâmides. O que veio à tona, foi o fato de que as pirâmides são um enigma. Elas realmente têm poderes que são muito difíceis de explicar. E então, pessoas como Joe Parr têm estudado isso. Quando alguém vai para o topo da Grande Pirâmide e vivencia esta estranha vibração eletromagnética, isto não é apenas uma coincidência, mas tem a ver com o fato de que a Grande Pirâmide está causando isso. Joe Parr descobriu que se ele colocasse uma pirâmide modelo e a girasse em uma centrífuga através de uma corrente magnética alternada, um campo de energia, ou que ele chamava de esfera ou bolha, se formaria em torno da pirâmide modelo. Joe descobriu que esta bolha ou bola de energia bloqueava todos os tipos conhecidos de radiação eletromagnética. Até mesmo os raios gama. Isso foi interessante. Nós não conhecemos qualquer tipo de força energética que poderia fazer isso. Esta é a coisa mais incrível sobre a descoberta Joe Parr. Em experiências de laboratório posteriores, Parr afirmou ter descoberto outro estranho fenômeno físico. A pirâmide modelo flutuou no campo da energia e começou a se mover em uma direção específica. Ele calculou a direção deste campo de energia para onde a pirâmide se deslocava, e adivinhem? Ele se alinhava exatamente onde vemos a constelação de Órion. Então Joe especulou que ela iria para o hiperespaço. Isso é especulação, mas faz muito sentido. E a Teoria das Cordas da física postula a existência de seis dimensões espaciais adicionais. Então, como sabemos o modo como estes campos de energia foram criados, isto permite que esta pirâmide entre em outra dimensão e viaje. Joe nunca provou isso, mas antes de morrer ele acreditava que a pirâmide age como uma máquina do tempo, se você desvendasse o segredo. Eu acredito que seja uma porta de entrada, ou um portal em múltiplas dimensões. Isto permitiria uma transmissão de pessoas, objetos, ou a consciência de outras dimensões para a nossa dimensão. Seria possível, como Joe Parr acreditava, que a Grande Pirâmide pudesse facilitar as viagens através do espaço interdimensional? Se sim, haveria outras pirâmides com os mesmos recursos? As pirâmides da Terra poderiam estar conectadas? Não apenas pela forma, mas pelo propósito. Talvez como parte de algum plano de outro mundo. Todos os povos antigos estavam construindo estas mesmas pirâmides porque era a forma pela qual eles conseguiam chegar a energia natural da terra. Você tem que pensar que quem quer que esteja guiando essa precisa rede de pirâmides deste tipo deve ter sido uma cultura muito avançada. Provavelmente extraterrestre.
 Sobre tudo isso eu tenho uma única pergunta: onde estão os projetos? Se tudo isso era tão incrivelmente importante, então você não imagina que teriam, pelo menos, um registro de algum tipo de projeto? A realidade é que não há uma única peça. Por quê? Poderia ser porque os projetos desapareceram? Pirâmides, interligadas pelo desenho, transformando a energia eletromagnética da terra e servindo como portais para viajantes de outros mundos. Seria realmente possível que as antigas pirâmides sejam parte de uma tecnologia avançada, talvez, alienígena? Uma tecnologia ainda não descoberta? Se sim, o que vai acontecer quando seus segredos forem descobertos? A humanidade finalmente está pronta para a verdade?”

Transcrito do vídeo O Segredo das Pirâmides – History Channel